7 maneiras que a reforma trabalhista pode afetar sua saúde

Projeto traz alterações que influenciam diretamente na saúde, como trabalho de gestantes em ambientes insalubres, redução do horário de almoço, entre outros

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 28/07/2017

As mudanças propostas pela reforma trabalhista, sancionadas pelo presidente Michel Temer, vêm causando grande apreensão e inseguranças nos ambientes de trabalho. No total, são mais de 100 pontos modificados na CLT e alguns deles podem afetar positiva ou negativamente a sua saúde. Para entender um pouco sobre a relação dessas alterações com a saúde, pedimos a ajuda do professor Fernando Akio Mariya, diretor da Associação Nacional de Medicina do Trabalho - ANAMT, que explica tudo logo abaixo:

1. Período de férias

Com a reforma, o período de férias poderá ser dividido em três partes, sendo que uma delas não deve ser menor do que 14 dias. Hoje, os trabalhadores podem dividir as férias em duas partes, sendo que uma deve ser de pelo menos 10 dias. "Não existem estudos que digam o período mínimo de férias que seja benéfico para a saúde, entretanto, eles mostram que as férias são necessárias para evitar doenças crônicas pelo menos uma vez ao ano e que quanto maior o período de dias, menor o risco de adoecimento", diz Akio.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.