Transtorno de Déficit de Atenção também afeta adultos

10 dicas para você gerenciar os sintomas do TDAH na vida adulta

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 23/11/2010

Dra. Evelyn Vinocur
Psiquiatria - CRM 303514/RJ
especialista minha vida

Ao contrário do que muitos pensam, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, ou TDAH, ainda é um transtorno pouco conhecido e subdiagnosticado, principalmente quando se trata do portador adulto. Esse fato é lastimável, uma vez que estudos científicos mostram que o TDAH persiste com os sintomas da infância até a vida adulta em 3 a 4% da população mundial. No Brasil, cerca de 1.800.000 brasileiros adultos sofrem por ter o transtorno e não saber.

O TDAH é uma condição grave que se caracteriza por um padrão crônico e persistente de sintomas de desatenção, hiperatividadehiperatividade e/ou impulsividade, podendo afetar seriamente a qualidade de vida do indivíduo em todos os setores, seja afetivo, social, laborativo, acadêmico ou profissional. A maioria dos adultos sente-se limitada, não conseguindo desenvolver todo o seu potencial, o que leva a baixa auto-estima e sentimentos de minusvalia, insegurança, impotência, incompetência e fracasso precoce. Outras condições como depressão e problemas com álcool e drogas e transtornos de conduta costumam ocorrer em mais da metade dos adultos com TDAH.

PUBLICIDADE
A maioria dos adultos se sente limitada, não conseguindo desenvolver todo o seu potencial, o que leva a baixa auto-estima

O comprometimento das funções executivas faz com que a vida do adulto com TDAH fique fadada a constantes insucessos. A parte cognitiva fica prejudicada e a vida não flui, fica estagnada, muito aquém do esperado. O rendimento e o desempenho pessoal podem cair em várias áreas. Questões como falta de habilidade social, problemas com resolução e enfrentamento de problemas, dificuldades com gerenciamento do tempo e com a capacidade de se organizar e de se planejar podem fazer com que o portador de TDAH fique excluído e desassistido dentro de seu próprio meio, muitos vivendo à margem, desmoralizados e desacreditados pelos familiares, amigos e ou colegas de trabalho. O portador de TDAH cresce sendo rotulado, apelidado e criticado, e por isso vai solidificando uma auto-imagem negativa, achando que ele é assim mesmo.

Mesmo aqueles que são diagnosticados e medicados adequadamente, podem não saber como gerenciar as suas limitações. A grande maioria dos portadores adultos não consegue encontrar seus próprios sistemas e mecanismos de enfrentamento para combater os sintomas do TDAH no dia-a-dia. Por isso, sugerimos uma série de orientações importantes para o manejo dos sintomas do TDAH no adulto. Assim, as chances de sucesso crescem a passos largos.

1) Exercite-se. Verifique o tempo de exercício a cada dia. O exercício ajuda a aumentar o foco e a diminuir o excesso de energia, ajudando a combater os sintomas de depressão, irritabilidade, hiperatividade ou impulsividade. Ter um programa de exercícios em sua rotina diária lhe dará muitos benefícios.

2) Aceite a si mesmo e a suas limitações. Lembre-se que o TDAH não é um diagnóstico e pronto. O diagnóstico pode ajudá-lo a entender por que você age de uma certa maneira, mas não é uma desculpa para comportamentos inadequados. Você pode mudar. Acredite. Adote atitudes de mudança.

3) Procure pessoas que te aceitem. O adulto com TDAH pode sentir que aqueles em torno dele não entendem o seu problema e ficam criticando e julgando o seu comportamento. Se essas pessoas sempre fazem você se sentir desconfortável ou inadequado, junte-se a outras pessoas com quem você se sinta respeitado. Procure grupos de apoio em sua área ou crie sua própria rede de amigos.

4) Procure tempo no seu dia para relaxar. Use o tempo de transição entre ma atividade e outra para desestressar. Deixe, por exemplo, sua família saber que quando você chega em casa do trabalho precisa de alguns minutos de silêncio antes de se dedicar as atividades familiares.

5) Crie um sistema seu para priorizar o seu dia. Treine as suas escolhas em ordem de importância. Veja o que precisa ser feito e complete os ítens mais importantes em primeiro lugar. Deixe os menos importantes para depois. Se você se distrair, ainda assim você vai ter conseguido fazer os itens mais importantes do dia.

6) Use o seu relógio biológico em seu benefício. Se você é uma pessoa mais produtiva no início do dia, coloque os ítens mais importantes para serem realizados no período da manhã. Se você render melhor nas partes da tarde, organize suas tarefas principais neste horário. Gerencie suas atividades de modo que você tire o máximo proveito de seus próprios padrões de produtividade.

7) Crie prazos para seus projetos e aprenda a gerenciar o seu tempo. Se você costuma "enrolar" para concluir alguma atividade, esboçe seus projetos estabelecendo prazos para cada etapa dos mesmos. Se você estiver trabalhando em casa, dê-se um limite de tempo para completar suas tarefas, por partes. Você pode usar estratégias para se ajudar, como o uso de despertador de relógio ou do celular, por exemplo. Faça registros de atividade diária e coloque suas metas com os respectivos prazos.

8) Realize todas as suas tarefas e atividades em etapas. Adultos com TDAH estão frequentemente sobrecarregados com grandes projetos e tarefas. Muitas vezes isso faz com que os projetos fiquem inacabados ou que até mesmo sequer comecem. Em vez de olhar o projeto como uma longa e única tarefa a ser concluída, veja-o em etapas. Por exemplo, se você for limpar a sua casa, crie um sistema: em primeiro lugar faça as camas, em segundo arrume a sala e por fim a cozinha. Não se preocupe com outra coisa até que complete o que estiver fazendo naquele momento.

9) Sistematize com antecedência a sua própria rotina diária. Ao desenvolver sistemas para se ajudar no dia-a-dia, você mesmo acaba criando a sua própria agenda diária. Use ajudantes organizacionais, listas de tarefas, agendas, gravadores, entre outros.

10) Aprenda tudo sobre o TDAH. Quanto mais você aprender sobre o seu diagnóstico, mais você estará preparado para lidar com as dificuldades diárias. Ler livros, fazer perguntas ao seu médico ou participar de grupos de apoio tornarão a sua vida bem mais leve e com mais qualidade. Coloque sabor em cada aprendizado. As pequenas superações são grandes sucessos. Comemore as suas vitórias.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.