Não deixe que o sol se torne o vilão da sua pele

Ele traz muitos benefícios à saúde desde que alguns cuidados sejam tomadaos

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 20/01/2011

Dr. Daniela Avila Hueb
Nutrologia - CRM 96027/SP

Quando chega o verão, os noticiários, as revistas e os jornais parecem que só gostam de falar de todos os malefícios que tomar sol traz para a nossa vida, não é mesmo? E com as férias chegando, parece que vivemos na maior incoerência, afinal o sol está brilhando lá fora, nos chamando pra curtir, mas o saudável mesmo é ficar na sombra. Calma, também não é nada tão drástico assim. O sol faz bem, você só precisa tomar os cuidados corretos. Nesse artigo pretendo listar algumas dicas para aproveitar o melhor do sol e do verão sem prejudicar a saúde de sua pele.

Os benefícios da luz do sol


Ela promove a síntese da vitamina D, que é extremamente necessária para fortalecer os ossos e evitar o raquitismo. Há também evidências de uma ligação entre exposição solar, a produção aumentada de hormônios e melhora da disposição e do humor, fato que tem um papel importante na manutenção da saúde mental e dos ritmos circadianos.

Viu só como o sol não tão vilão assim? Mesmo porque a privação prolongada de luz do sol, tal como ocorre em países do extremo norte durante o inverno, pode levar a distúrbios de ordem afetiva sazonal, caracterizado pela conhecida depressão nos invernos.

PUBLICIDADE
Os raios do sol promovem a síntese da vitamina D, que é extremamente necessária para fortalecer os ossos e evitar o raquitismo

Os problemas de abusar do sol

O que pouca gente sabe é que a cor dourada que vem do bronzeado é uma reação de defesa da pele em relação ao sol. Em decorrência da exposição excessiva à radiação UV (ultravioleta) emitida pelo sol ou camas de bronzeamento, células especializadas da pele (melanócitos) aumentam a produção de melanina (pigmento que dá a cor da pele) com o objetivo de proteger as células dos efeitos prejudiciais da radiação UV.

Além disso, o sol tem efeito cumulativo na pele, o que significa que abusar do bronze na juventude fará com que, dentro de alguns anos e de forma precoce, você sofra com rugas, manchas, perda de elasticidade e fotoenvelhecimento.

Câncer de pele

Como se não bastassem esse problemas, existe o risco grande de desenvolver câncer de pele. Isso acontece porque a radiação solar provoca menor resposta imunológica da pele que, por sua vez, fica mais vulnerável ao aparecimento do câncer. Enquanto na década de 30 as estatísticas apontavam um caso de câncer de pele para cada 1.500 pessoas, no ano 2000, a taxa subiu de um para cada 90 pessoas. Entre os vários tipos de tumores de pele, os carcinomas representam entre 70% e 80% das ocorrências, enquanto o câncer de pele mais terrível, o melanoma, de 5% a 7%.

Atualmente a maioria dos tipos de câncer pode ser tratada e curada, quando diagnosticada cedo. Portanto, o melhor a fazer é procurar seu dermatologista logo que perceber qualquer alteração na sua pele como manchas com mais de uma cor, pintas novas e com as bordas irregulares além de machucados que não cicatrizam e permanecem incomodando.


O melhor é prevenir


Uma vez que se esconder do sol não é garantia de vida saudável (nem de felicidade!), o melhor é saber como se expor à luz solar. Então, anote as dicas:

- Evite pegar sol entre 10 da manhã e 4 da tarde, quando raios de sol são os mais fortes. Nesse período, a sombra é o melhor lugar do mundo!

- Use um protetor solar com fator de proteção solar (FPS) 15 (se você tem pele negra) e de 30 para cima (se tem a pele mais branquinha) sempre que estiver ao ar livre, até mesmo para esperar um ônibus na rua. Esse cuidado pode reduzir a incidência da maioria dos tipos comuns de câncer de pele e diminuir o envelhecimento precoce. Escolha um protetor solar com ingredientes que bloqueiem tanto os raios ultravioleta B quanto os ultravioleta A. Outro cuidado importantíssimo é passar o protetor vinte minutos antes de se expor ao sol e reaplicar sempre que se molhar ou suar. Se você tem crianças, o cuidado deve ser redobrado.

- Passe longe de câmaras de bronzeamento artificial. Isso porque as lâmpadas destas são mais intensas que a luz do sol natural. Pode haver queimadura, envelhecimento prematuro da pele e, com certeza, haverá no futuro um maior risco de desenvolver câncer de pele. Se você acha bonita a cor do bronzeado, use produtos autobronzeadores. Escolha uma marca conhecida e siga as instruções da embalagem.

- Sempre que estiver na praia ou piscina, use chapéu e óculos de sol.

Se o uso do protetor solar incomoda você, dê uma passadinha em seu dermatologista. Ele pode lhe indicar um produto mais personalizado, que não lhe causar tanto incômodo. O que não pode é se esconder em casa ou sair desprotegido.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.