Marca-passo cardíaco pede cuidados especiais para quem faz atividade física

Manutenção e ajustes às demandas do organismo são primordiais para a saúde do coração

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 25/06/2012

Dr. Bruno Valdigem
Cardiologia - CRM 118535/SP
especialista minha vida

As pessoas que apresentam a frequência dos batimentos cardíacos muito baixa - a chamada de bradicardia - podem apresentar diversos sintomas, como fraqueza, tonturas e desmaios. Com a exceção de atletas bem treinados, nos quais a bradicardia pode ser fisiológica e até esperada, a frequência cardíaca deve subir durante esforço físico ou atividades que precisam de um maior volume de sangue bombeado por minuto pelo coração, chamado de débito cardíaco.

PUBLICIDADE

O marca-passo

O tratamento para as bradicardias que tenham sintomas ou tragam riscos à saúde é o implante de um marca-passo definitivo. Este aparelho é um microcomputador que é conectado ao coração através de fios que detectam a frequência cardíaca e estimulam-no a bater mais rápido se necessário. O gerador do marca-passo - a caixa metálica que é composta pelos componentes eletrônicos e pela bateria - fica logo abaixo da pele do tórax, entre a gordura e o músculo peitoral. Os eletrodos, conectados a esta caixa são amarrados à musculatura e têm sua extremidade mais distal fixada ao músculo cardíaco.

Atividade física

Os portadores de marca-passo são em sua maioria idosos, e isso não quer dizer que eles não devam praticar atividade física. O marca-passo não é impedimento para atividades, salvo aquelas que tragam risco de trauma no local do gerador. Atividades aeróbicas e anaeróbicas devem ser encorajadas após o primeiro mês do implante, preferencialmente evitando esforço extenuante no membro superior do lado onde está localizado o dispositivo.

Cuidados com o aparelho

Os ajustes do marca-passo devem ser realizados periodicamente e geralmente são agendados a cada três ou seis meses. Podem ser realizados ajustes de acordo com o uso do paciente e as capacidades de cada marca-passo. Por exemplo, alguns têm sensores de movimento, de temperatura e de respiração, que aceleram os batimentos em caso de maior demanda. O raciocínio é que um paciente que pratica corrida pode se beneficiar de uma maior frequência cardíaca quando correm, e vão se sentir melhor se essa freqüência voltar ao normal quando param de correr. A maioria dos marca-passos apresenta funções inteligentes, que podem ser acionadas para prover maior conforto ao portador. Isso pode ser programado e ajustado de acordo com a necessidade diária.

Converse com seu médico sobre esses assuntos. A ideia por trás do implante é permitir ao indivíduo uma vida longa e feliz, e não privá-lo dos prazeres dela.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.