Fuja dos maus hábitos que causam a gastrite

Não só a escolha dos alimentos detona o problema, mas a forma como você come também

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 22/08/2007

A vida agitada, cheia de cobranças, serve de gatilho para ela. Enquanto seu cérebro arde em busca de soluções para dar conta de tanta coisa, seu estômago queima e denuncia: a gastrite já se instalou. "Essa inflamação na mucosa do estômago causa, além da dor, estufamento, enjôo e até vômito , explica o cirurgião do aparelho digestivo", José Renato Cohn. (uma boa dieta ajuda a evitar uma série de males, encontre a sua aqui)

Mas nem só o estresse justifica o aparecimento do problema. "Estudos já identificam a relação direta entre a bactéria Helicobacter pylori e o desenvolvimento da gastrite" , conta o médico. (saiba contornar as pressões do estresse)

A prevenção, no entanto, continua baseada nas mesmas regras: evitar frituras, condimentos fortes e picantes, além de bebidas alcoólicas, é essencial.(conheça todas as vantagens dos grelhados) Comer rapidamente também é prejudicial -- a falta de mastigação dificulta o trabalho digestivo.



O cigarro também é um vilão de má fama cientificamente reconhecida. "As substâncias tóxicas presentes no cigarro podem desencadear inflamações que diminuem o revestimento interno do estômago , afirma o gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Camilo, Ricardo Barbuti.


Para tratar o problema, a análise dos sintomas é essencial. Nos casos em que há apenas queimação, basta o consumo de medicamentos que diminuem a acidez gástrica. Já quando as náuseas são freqüentes, a prescrição é diferente. (ficar sem comer nunca é uma boa idéia, veja como fazer à noite)

Em ambas as situações, contudo, a transformação dos hábitos alimentares é essencial para o controle da doença ou até para a cura, quando a inflamação ainda está no começo. Sandra Bordin, responsável pelo serviço de nutrição do Hospital e Maternidade São Cristóvão, indica alguns fatores que auxiliam no tratamento:
- Comer em pequenas quantidades várias vezes ao dia, evitar ficar em
jejum por mais de 3 horas; (veja sugestões de petisquinhos que não engordam)
- Comer com calma, mastigando bem os alimentos, o que facilita a
digestão;
- Evitar muitos líquidos durante as refeições;
- Evite deitar após as refeições.


A nutricionista Camila Zago, do Hospital e Maternidade São Camilo, dá as dicas para aliviar a próxima crise de queimação:



Alimentos que devem ser evitados:
- Alimentos gordurosos e frituras em geral
- Frutas ácidas (laranja, abacaxi, limão, morango, damasco, pêssego, cereja, kiwi)
- Temperos (vinagre, pimenta, molho inglês, massa de tomate, molhos industrializados, ketchup, mostarda, caldos concentrados, molho tártaro), picles

- Doces concentrados (goiabada, marmelada, doce de leite, cocada, pé-de-moleque, geléia, compotas)
- Frutas secas e cristalizadas
- Frutas oleaginosas (nozes, avelã, coco, amêndoa, castanha de caju e do Pará, amendoim, pistache)
- Feijão e outras leguminosas
- Pepino, tomate, couve, couve-flor, brócolis, repolho, pimentão, nabo, rabanete
- Café, chá preto, mate e chocolate
- Lingüiça, salsicha , patês, mortadela, presunto, bacon, carne de porco, carnes gordas, alimentos enlatados e em conserva
- Bebidas alcoólicas e gasosas


Alimentos permitidos:


- Queijo fresco, ricota
- Chá de camomila, erva-doce, erva-cidreira, melissa, espinheira santa
- Sopas magras
- Carnes magras desfiadas, picadas, moídas, ensopadas, cozidas, assadas, grelhadas
- Ovos cozidos, poché, quentes
- Verduras e legumes bem cozidos
- Frutas (exceto as mencionadas acima)
- Pães brancos, bolachas Maria, maizena e água e sal
- Arroz, macarrão simples
- Batata, mandioca, mandioquinha cozidos



texto6Ds



PUBLICIDADE
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.