Ejaculação noturna é normal e comum na adolescência

Episódios frequentes, no entanto, pedem avaliação médica

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 16/08/2016

Dr. André da Costa Cavalcanti
Urologia - CRM 582437/RJ
especialista minha vida

Mais conhecida como ejaculação durante o sono, a polução noturna pode ser determinada como a perda seminal que acontece em função da ejaculação involuntária de sêmen no período noturno. O principal sinal é a roupa manchada de sêmen ao acordar. Existem homens que ao se deparar com a situação levam um susto, outros acordam no momento exato da ejaculação, enquanto outros mantem tranquilamente a noite de sono. Essa situação sem controle ocorre por que a ereção não é total e íntegra por parte do órgão masculino.

PUBLICIDADE

A fase na vida do homem que acontece a polução noturna é justamente quando o jovem está conhecendo o seu corpo e tendo os seus primeiros sinais de interesse pela vida sexual. Uma estimativa aponta que 50% dos adolescentes terão pelo menos uma situação de polução noturna durante a fase de descoberta do sexo. Mas não podemos definir como uma situação característica da puberdade. Apesar de ser mais normal durante os últimos anos da adolescência, pode ser vivenciada pelo homem já na fase adulta.

Por trás da ejaculação noturna existe um ímpeto sexual saudável. O fator que preocupa o homem é que ele não se lembra de nada que possa ter desencadeado essa situação durante o descanso noturno, nem mesmo um sonho erótico. O que pode estar acontecendo é que o homem se encontra na fase REM (rapid eye moviment), na qual ocorrem os sonhos eróticos ou não. A consequência é após os sonhos eróticos acontecer uma ejaculação involuntária.

É importante procurar entender o que leva a ocasionar com frequência os episódios de ejaculação noturna. O nervosismo pode ser um indício que a mente está precisando de autocontrole emocional. Evitar o estresse é o primeiro passo. Em termos médicos, estas perdas seminais são provocadas por uma expansão relativamente acentuada do sistema nervoso. Ao menor impulso erótico ou mesmo sem esse desencadeador sexual, poderá ocorre a perda seminal, seja de dia ou de noite. O principal sintoma é a perda de sêmen categoricamente e com quantidade líquida variável. Esse aspecto da doença é acompanhado de fadiga corporal e mental.

É importante procurar entender o que leva a ocasionar com frequência os episódios de ejaculação noturna. O nervosismo pode ser um indício que a mente está precisando de autocontrole emocional. Evitar o estresse é o primeiro passo. Em termos médicos, estas perdas seminais são provocadas por uma expansão relativamente acentuada do sistema nervoso. Ao menor impulso erótico ou mesmo sem esse desencadeador sexual, poderá ocorre a perda seminal, seja de dia ou de noite. O principal sintoma é a perda de sêmen categoricamente e com quantidade líquida variável. Esse aspecto da doença é acompanhado de fadiga corporal e mental.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Para concluir, reafirmo que não há um limite para se definir as ejaculações noturnas como um problema, ou seja, uma patologia médica. O passo mais importante inicialmente é observar se está associado a outros distúrbios sexuais ou psicológicos, que podem merecer acompanhamento médico.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.