Coceira e sangue nas fezes podem indicar doenças na região anal

Hemorroidas, fissuras e até câncer apresentam sintomas claros

POR CAROLINA SERPEJANTE - PUBLICADO EM 07/10/2015

A presença de sintomas como dor ao evacuar, sangue nas fezes ou mesmo coceira anal não deve ser negligenciada - principalmente quando eles persistem. Para você ficar alerta, confira a lista com os sinais mais comuns de doenças na região anal e quando buscar atendimento:

PUBLICIDADE

Muco nas fezes

"O muco intestinal é uma secreção gelatinosa, branca ou amarelada, produzida naturalmente pelo intestino (cólon) a fim de lubrificar e proteger o trajeto das fezes e facilitar sua eliminação", explica o proctologista João Duda, da Sociedade Brasileira de Coloproctologia e especialista Minha Vida. Contudo, dificilmente esse muco será visível a olho nu. "Em grandes quantidades, principalmente se o aumento ocorrer de maneira súbita, deve-se procurar um especialista", diz.

O muco nas fezes pode ocorrer nas infecções intestinais, normalmente acompanhadas de diarreia. Outras causas possíveis incluem doenças inflamatórias intestinais, síndrome do intestino irritável e/ou câncer. "Também pode estar presente na fissura anal, nas proctites infecciosas (herpes, sífilis anorretal), grandes hemorroidas internas, fístulas anais e úlceras retais, no prolapso de mucosa retal e na doença celíaca, diverticulite aguda e obstrução intestinal", ressalta João Duda.

Ao notar que há uma secreção gelatinosa de cor amarelada, semelhante a um "catarro" nas fezes, marque uma consulta médica. Outros sintomas como diarreia, sangue nas fezes, dor abdominal e febre também pedem atenção quando acompanhados de muco nas fezes.

Gordura nas fezes

A presença de gordura nas fezes (esteatorreia) pode ser visível ou detectada por exames laboratoriais. "Caso visível, as fezes tendem a ser espumosas, com odor fétido forte e tendem a sempre flutuar na água", afirma o proctologista João Duda. Entre as doenças que comumente causam esteatorreia estão pancreatite crônica, doença celíaca, doença de Crohn, fibrose cística do pâncreas e câncer das vias biliares ou do pâncreas. "Sangramento digestivo, anemia, dor e perda de peso/desnutrição devem ser sinais de alerta", lembra. Por fim, sempre que os sintomas de gordura nas fezes estiverem presentes deve-se buscar ajuda médica, pois estes normalmente estão correlacionados a doenças graves.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Coceira anal

A coceira ou prurido anal é um sintoma comum, provavelmente porque a área é muito sensível aos potenciais irritantes locais. "Embora a coceira anal possa ser causada por doenças específicas, como hemorroida, fissura anal, constipação, diarreia e diabetes, a maioria dos pacientes na verdade sofre alterações cutâneas, como micoses, seborreia ou dermatites", diz João Duda. No entanto, a causa mais comum de coceira anal é a presença de resíduos de fezes na margem anal e no canal anal, comum em pessoas com alterações funcionais no esfíncter - ou seja, que não conseguem controlar a eliminação de fezes.

O especialista ressalta ainda que a coceira excessiva pode causar ferimentos e piorar ainda mais o sintoma. "Muitas vezes não há nenhum dano estrutural ou consequência mais grave por trás da coceira anal, mas o sintoma pode ser incrivelmente irritante e levar a considerável perda na qualidade de vida."

Os sinais de alerta para buscar ajuda médica são sangramento, alteração do hábito intestinal e da forma das fezes, emagrecimento, dor anal ou retal e a presença de muco ou pus. Caso perceba alterações na forma e consistência da região anal, leve em consideração a avaliação médica.

Dor ao evacuar

O ato de defecar normalmente não é acompanhado de dor. Caso o sintoma esteja acompanhado com excesso de força e dificuldade para evacuar, provavelmente é consequência de prisão de ventre ou fezes muito ressecadas - acusando ingestão excessiva de fibras ou pobre de líquidos.

A dor ao evacuar também é o principal sintoma de fissura anal. "Tende a ser uma dor severa, pior na manifestação aguda, como se algo estivesse arranhando ou cortando o ânus ao evacuar, persistindo após a defecação", explica o proctologista João. A fissura anal também causa sangramento, por isso, na presença desses dois sintomas o ideal é buscar ajuda médica. "O não tratamento da fissura anal pode torna-la crônica, o que gera uma hipertrofia da pele na borda do ânus onde se encerra a ferida, chamado plicoma", explica o especialista. Mesmo após a formação do plicoma, a fissura anal continua a causar dor.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Hemorroidas também podem causar dor ao evacuar, mas somente quando há "crises". Para entender melhor o conceito, é necessário pensar que hemorroidas podem ser internas ou externas. "As internas tendem a sangrar e prolapsar, e as externas tendem a inchar e causar obstrução por coágulos, o que pode causar a dor", afirma João Duda. Portanto, as hemorroidas nem sempre causam dor, somente quando estão externas.

Por isso, de a dor para evacuar está acompanhada de sintomas como sangue nas fezes, presença de nódulos ou inchaços e/ou alterações na aparência das fezes, o ideal é buscar ajuda.

Fezes com aparência alterada

As fezes normalmente tem cor marrom de diferentes tonalidades e possuem formato cilíndrico e alongado. Colorações diferentes do marrom podem indicar problemas que devem ser investigados, principalmente se persistirem. Fezes com formatos muito finos e dificuldade para evacuar pode indicar obstrução intestinal, por exemplo, que em alguns casos pode acusar até mesmo câncer. Já a consistência das fezes deve ser macia, ficando o alerta para as fezes amolecidas ou ressecadas.

Por fim, o odor das fezes pode variar muito conforme aquilo que comemos. "No geral, o consumo de carne vermelha ou alimentos condimentados pode gerar fezes com um odor mais acentuado", explica o proctologista Sidney. Mas não deve ser um cheiro muito forte ou insuportável.

Prisão de ventre

A constipação intestinal pode ser definida como a evacuação de fezes muito ressecadas e escassas, com frequência de 72 horas ou mais entre uma evacuação e outra. Dificuldade para ir ao banheiro e sensação de quem não defecou completamente também fazem parte desse quadro. "A prisão de ventre pode estar relacionada a fatores como dieta pobre em líquidos ou com excesso de fibras, doenças do assoalho pélvico, falta de relaxamento muscular, obstrução do aparelho intestinal ou mesmo com adiar a ida ao banheiro", conta o proctologista Sidney. Uma frequência considerada dentro do ideal fica entre três vezes ao dia até uma vez a cada três dias. Essa, porém, não é uma definição rígida, uma vez que pessoas saudáveis podem fugir do padrão.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Algumas situações podem causar alteração temporária do hábito intestinal, como estresse, ansiedade, viagens, mudanças na rotina e gravidez. Além disso, a prisão de ventre não tratada pode favorecer problemas como hemorroidas, fissura anal e diverticulite. Quando os hábitos intestinais mudam sem causa aparente e não retornam ao normal, é necessário buscar ajuda médica.

Nódulos ou inchaço na região

Há diversas condições em que há manifestação de um nódulo ou inchaço na região anal, mas elas nem sempre são perceptíveis. "A região anal é composta pelo canal anal e pela margem anal, correspondentes as porções interna e externa, respectivamente", explica o proctologista João Duda. Segundo o especialista, normalmente as pessoas sentem ou enxergam alterações na margem anal, e essas costumas ser facilmente percebidas. "A aparência nas nodulações e inchaços varia de acordo com a causa, e sua percepção pode não ocorrer em alterações muito pequenas", diz.

A causa mais comum de inchaço na região externa do ânus é a hemorroida. Os demais diagnósticos diferenciais são diversos, entre eles plicomas anais (excesso de pele), fissuras anais crônicas, DST, prolapso retal, pólipos retais ou doença de Crohn. Um nódulo na região também pode indicar a presença de tumor, principalmente quando apresenta consistência mais firme e que não desaparece espontaneamente. "Essa situação, no entanto, é bem menos comum, mas ainda sim deve ser levada em consideração", explica João.

Caso você sinta um inchaço, nódulo ou qualquer alteração na região do ânus, o ideal é procurar ajuda médica. "Dor, sangramento, coceira, ardência, secreção, desconforto e dificuldade com a higiene são sintomas que merecem alerta, principalmente quando acompanhados da presença de nodulações e inchaço."

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.