Primeiro imuno-oncológico para tratar câncer de pulmão é aprovado no Brasil

Medicamento oferece até o dobro de sobrevida e também recebeu aval para combate ao melanoma

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 08/04/2016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou o registro do medicamento Opdivo (nivolumabe), da biofarmacêutica global Bristol?Myers Squibb. A partir de agora o medicamento está autorizado pelo órgão para tratar dois dos tipos mais agressivos da doença de acordo com o INCA: o câncer de pulmão localmente avançado ou metastático e o melanoma metastático.

PUBLICIDADE

O nivolumabe é o primeiro imuno-oncológico disponível no Brasil para pacientes com câncer de pulmão e a terapia mais inovadora a surgir nos últimos dez anos para combater este tipo da doença. O remédio oferece a possibilidade de atingir até o dobro da sobrevida em comparação ao tratamento disponível atualmente no mercado. A terapia também recebeu aval para tratamento do melanoma avançado e metastático no país.

Com Opdivo (nivolumabe) a Bristol apresenta dados significativos nunca antes verificados para o câncer de pulmão e, através do pioneirismo de suas pesquisas em imuno-oncologia, vem desenvolvendo opções inovadoras de tratamento com objetivo de oferecer sobrevida de longo prazo para pacientes com câncer.

"A aprovação do nivolumabe no mercado brasileiro representa uma das maiores contribuições para o armamentário oncológico contra o câncer de pulmão e melanoma. Agora, tanto pacientes com melanoma metastático como pacientes com câncer de pulmão metastático têm uma opção melhor do que quimioterapia e ainda com menos efeitos colaterais", afirma o chefe-geral do Centro de Oncologia Antonio Ermírio de Morais, do Hospital São José, ligado à Beneficência Portuguesa, Dr. Antônio Carlos Buzaid.

Para o presidente da Bristol no Brasil, Caetano Crupi, nivolumabe representa o primeiro estágio da imuno-oncologia que permitirá encarar o câncer com uma perspectiva de potencial de controle da doença. "A imunoterapia representa um novo padrão na maneira de cuidar dos pacientes acometidos com essa doença tão grave".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A aprovação de Opdivo (nivolumabe) para câncer de pulmão e melanoma cumpre a promessa de entrega de imuno-oncologia em estados desafiadores da doença e a Bristol continuará a liderar essa ciência nas novas áreas que possuem necessidades médicas não atendidas.

A expectativa é que o medicamento esteja disponível para comercialização ainda este ano, assim que for concluída a definição de preços pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

Dados sobre o câncer

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, há previsão de 28.190 novos casos de câncer de pulmão entre 2016 e 2017, sendo 17.330 em homens e 10.860 em mulheres. Estudo conduzido pela Sociedade Americana do Câncer em parceria com a Agência Internacional para Pesquisa sobre o Câncer (IARC), aponta que o câncer de pulmão é a principal causa de morte pela doença entre homens e mulheres em países desenvolvidos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a incidência do melanoma vem aumentando nas últimas quatro décadas. Em 2012 foram mais de 232 mil novos casos em todo o mundo e a perspectiva é que em 2015 esse número tenha subido para 250.178 novos casos. No Brasil a doença representa apenas 4% das neoplasias malignas no país e a estimativa de novos casos para os anos de 2016 e 2017 é de 5.670, sendo 3.000 em homens e 2.670 em mulheres.

Ainda de acordo com a OMS, a epidemia do câncer atingirá 22 milhões de pessoas ao redor do mundo até 2030.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.