1 em cada 4 leitores do Minha Vida sentem que não dormem o suficiente

Entenda o impacto disso à saúde e veja dicas para dormir melhor

POR RAFAEL DUARTE - PUBLICADO EM 14/03/2018

Uma noite mal dormida pode fazer com que nosso dia não seja dos melhores. Nos sentimos cansados, com falta de atenção, irritabilidade e com dores na cabeça e no corpo. Por isso, é essencial cuidarmos bem das nossas noites de sono, para começarmos o dia com o pé direito.

PUBLICIDADE

Para o Dia Mundial do Sono, nós do portal Minha Vida conduzimos uma pesquisa especial para saber como anda a qualidade da noite de nossos leitores. E os resultados foram surpreendentes. Confira!

Nossos leitores não estão dormindo tão bem

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o ideal seja dormir cerca de 8 horas por dia para termos o descanso necessário. No entanto, nossa pesquisa indica que os leitores do Minha Vida dormem, em média, 6h34m e apenas 15,2% dos entrevistados conseguem dormir 8 horas por noite.

Com menos horas destinadas a dormir, a qualidade do sono fica prejudicada. De acordo com os entrevistados, 74% acreditam que, em geral, as horas de sono não são suficientes e que já acordam cansados.

Sono leve (37,3%), demora para conseguir dormir (33%) e insônia (26,9%) são os motivos mais comuns para a diminuição da qualidade do sono, de acordo com nossos leitores. 4 em cada 5 afirmam que não dormem assim que deitam na cama e passam em média 44 minutos se revirando até conseguirem pegar no sono. Isso contribui para a sensação de cansaço e sonolência ao longo do dia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Outro hábito bastante comum entre nossos leitores é o cochilo durante o dia. 43% costumam tirar breves sonecas ao longo da manhã e da tarde. Dentre eles, 34,1% cochilam por mais de 30 minutos na maioria das vezes.

Breves cochilos podem ser benéficos para a saúde, pois nos ajuda a repor parte da energia gasta ao longo do dia. No entanto, cochilos mais longos nem sempre são tão bons? "Se a pessoa cochilou mais de 20 minutos, deve demorar cerca de uma hora e meia para voltar ao normal. Por isso, acredito que uma média razoável são 30 minutos após a soneca", explica o pneumologista Denis Martinez, especialista em medicina do sono.

Preocupações são as maiores vilãs

Não é apenas a qualidade do sono que afeta nosso dia a dia, o contrário também é verdadeiro. Nosso cotidiano pode afetar o quão bem ou mal vamos dormir à noite.

Por exemplo, uma rotina com muitos afazeres pode fazer com que seja difícil desligar à noite, resultando em poucas horas de sono e pouco descanso. E, infelizmente, essa é a realidade para a maioria de nossos leitores. 40,6% trabalham mais de 8 horas por dia e, dentre os que trabalham, 70,2% têm afazeres domésticos como cozinhar, lavar louça e cuidar dos filhos após o expediente de trabalho.

Essa dupla jornada de trabalho, além de restringir o tempo disponível para o sono, costuma trazer preocupações e angústias, que acabam inibindo o relaxamento necessário para pegarmos no sono. Mais da metade dos entrevistados, por exemplo, afirmou que problemas financeiros (50,2%) costumam tirar seu sono, seguido por problemas familiares (38,9%) e com relacionamentos (37,9%).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Higiene do sono também conta

Mas não são só as grandes preocupações diárias que contribuem para a piora da qualidade do sono. Alguns pequenos detalhes, como olhar o celular na cama antes de dormir, fazer refeições pesadas à noite ou não ter horários para acordar regulares podem ser decisivos para uma boa noite de sono. A este conjunto de cuidados damos o nome de higiene do sono.

A grande maioria de nossos leitores, 89,1%, afirma ter o hábito de olhar o celular na cama antes de dormir. Esse hábito pode ser extremamente prejudicial para uma boa noite de sono, já que a luz emitida pelos aparelhos celulares inibem a produção do hormônio do sono (melatonina), que é responsável por nos fazer relaxar e dormir profundamente.

Além disso, 37,4% fazem refeições pesadas à noite, poucas horas antes de dormir e apenas 1 em cada 4 entrevistados fazem refeições propositalmente mais leves à noite. "Indivíduos que apresentam roncos e apneia podem ter o quadro piorado na presença de refluxo gastro-esofágico. O refluxo tende a piorar quando nos alimentamos em grande quantidade, em especial à noite?, explica a otorrinolaringologista Samanta Dall?Agnese, especialista em medicina do sono.

Por fim, outro hábito que pode impedir uma boa noite de sono é não dormir e acordar no mesmo horário todos os dias. Isso ocorre por que nosso corpo é regido por um ciclo chamado circadiano, expressão que significa "cerca de um dia", em que o corpo organiza suas funções para que ocorram sempre em 24 horas mais ou menos, obedecendo a duração do dia. "Ficar mexendo no nosso ciclo circadiano o desregula. Ao dormir mais tarde, você atrasa o relógio biológico e volta a não conseguir acordar cedo", esclarece o pneumologista Geraldo Lorenzi, especialista em medicina do sono.

O que podemos fazer para dormir melhor?

A pesquisa aponta ainda que 73% daqueles que dormem mal consideram que o estresse faz muito mal para sua saúde. Por outro lado, dentre os que dormem bem, apenas 49% acreditam que o estresse é prejudicial. Dessa forma, é possível afirmar que a qualidade do sono pode influenciar como as pessoas lidam com o estresse.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Esse é apenas um dos benefícios de uma noite bem dormida, que incluem também: regulação do peso, controle da hipertensão, fortalecimento da memória, melhora da depressão, aperfeiçoamento do desempenho em atividades físicas, e redução do risco de diabetes e doenças cardiovasculares.

Por isso, pensando na importância que uma boa noite de sono tem em nossas vidas, reunimos 6 dicas que podem te ajudar a dormir melhor :) Veja no nosso infográfico abaixo:

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.