Fazer várias cirurgias plásticas ao mesmo tempo é seguro?

A decisão de combinar cirurgias deve ser feita com muita cautela

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 06/07/2018

Dr. André Eyler
Cirurgia Plástica - CRM 667862/RJ
especialista minha vida

As cirurgias plásticas combinadas, ou seja, a realização de duas técnicas no mesmo tempo cirúrgico deve ser avaliada com muita cautela pelo cirurgião plástico, que deve ser de confiança e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

PUBLICIDADE

Não existem limites para se realizar uma plástica por ano, mas o bom senso e a ética médica devem reger a busca pelo melhor contorno corporal e aparência facial impecável que move o paciente. Entre uma cirurgia e outra, é necessário respeitar o tempo de recuperação para evitar complicações e não levar o paciente a tomar atitudes precipitadas que possam gerar arrependimento no futuro.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica não incentiva o médico a realizar várias cirurgias plásticas no mesmo paciente para atender seus "desejos de beleza", sem respeitar os limites e critérios médicos. O Conselho Federal de Medicina determina como resolução de segurança não ultrapassar mais que 40% de extensão corporal no mesmo procedimento cirúrgico. Cirurgias demasiadamente longas na duração ou que fazem intervenções em uma área muito extensa do corpo podem colocar em risco a saúde do paciente.

A única vantagem da combinação de técnicas no mesmo tempo cirúrgico é diminuir custos da operação e internação e otimizar o período de recuperação do paciente. No entanto, deve haver uma sintonia entre os procedimentos: as cirurgias devem ser similares e ter o mesmo objetivo.

A lipoaspiração, por exemplo, combina com a abdominoplastia, implante de prótese de silicone nas mamas ou redução mamária. A abdominoplastia com lipoaspiração na região das coxas ou implante mamário com lipoaspiração dos braços tem boa indicação, pois são regiões próximas e recebem orientações que se harmonizam no pós-operatório. Cirurgia nos braços e nas coxas, quando feitas juntas, também funcionam, pois são áreas de movimento e locomoção.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Por outro lado, o lifting facial não deve ser associado ao implante de próteses de silicone no mesmo tempo cirúrgico, uma vez que o pós-operatório pode gerar desconfortos e estresse para o paciente. Na primeira técnica, a orientação é fazer compressas para desinchar o rosto. Mas como fazer isso se na colocação de próteses de silicone não é permitido movimentar os braços?

A combinação de implante de prótese na região dos glúteos e cirurgias na parte frontal do corpo, como mamas ou abdome, também não é aconselhada, já que o paciente não pode deitar ou apoiar sobre o local operado. Na prótese de bumbum, a recuperação exige que a pessoa fique deitada de barriga para baixo, o que é totalmente incongruente com a cirurgia de mama ou região abdominal.

O tempo da cirurgia e do efeito da anestesia provocam alterações no metabolismo e na função fisiológica do corpo. Por isso, esses procedimentos têm um tempo médio para ser realizado - o ideal é que seja de até quatro horas. Até porque, ainda que o médico seja muito experiente, cirurgias associadas são naturalmente mais complexas, o que leva ao desgaste físico e mental do profissional, além de exigirem maior controle das condições de saúde do paciente.

A perda de sangue durante a cirurgia deve ser bastante controlada para não comprometer o período de recuperação. Lembre-se de que, se mais de um procedimento for realizado, a recuperação poderá ser mais longa. Manter a qualidade do trabalho, conforto e segurança do paciente são requisitos fundamentais para evitar riscos de vida.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.