Fones de ouvido podem estar ligados à perda auditiva? Especialista explica

Conheça os sinais e como prevenir a perda auditiva!

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 30/10/2018

Dr. Cassiano Mangini Dias Malpaga
Otorrinolaringologia - CRM 162.380/SP
especialista minha vida

A perda auditiva é um fator bastante prevalente na sociedade. Diversos fatores fazem com que se tenha percepção de estar ouvindo de forma alterada, e sinais e sintomas podem ser indicativos de perdas auditivas em todas as idades. Ter cuidados e conhecimento sobre a saúde auditiva é essencial para se prevenir e evitar problemas futuros.

PUBLICIDADE

Desde as causas mais simples como a obstrução do canal auditivo externo por cerúmen, até causas mais complexas como doenças herdadas geneticamente estão entre a vasta gama de patologias que podem cursar com alterações no nível de audição. A perda auditiva pode ser algo reversível ou irreversível, afetando a vida social, emocional e laboral de muitas pessoas.

Causas da perda auditiva

Vários fatores predisponentes e condições fisiopatológicas podem contribuir para a perda auditiva irreversível. Diversos estudos demonstram uma infinidade de fatores de risco para patologias auditivas, dentre estes se pode citar a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR), o envelhecimento das estruturas do ouvido interno (presbiacusia), doenças cardiovasculares e o Diabetes, hábitos como o tabagismo e etilismo, doenças genéticas, infectocontagiosas, uso de medicações tóxicas ao ouvido interno e infecções crônicas do aparelho auditivo.

Estes fatores podem causar perdas auditivas definitivas, nas quais se tem a morte de muitas células do ouvido interno que fazem com que o som percebido pelo ouvido chegue ao cérebro e seja compreendido e processado. Alguns outros dados são vistos em estudos como relacionados a perda auditiva como baixo índice de escolaridade, populações de baixa renda, obesidade e desnutrição.

Fones de Ouvido e a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR)

Na sociedade atual um dos fatores mais importantes a se discutir é a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). Inicialmente descrita para avaliar o risco ao qual os trabalhadores de indústrias estavam expostos durante sua jornada de trabalho sob sons intensos das máquinas, se tem estudado este fator em relação aos fones de ouvido. Importante lembrar que o uso de fones de ouvido tem tido grande aumento devido a popularização e ao fácil acesso aos smartphones, principalmente os jovens e adultos. Estudos mostram que até 82% da população de estudantes utiliza dispositivos que permitem a entrada de fones de ouvido.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Na grande maioria dos ambientes os sons estão em níveis seguros, mas quando se tem sons de intensidade elevada, por um longo período, isso pode ser prejudicial a estruturas sensoriais e cursar com perda irreversível da audição. Sabe-se hoje em dia que existe uma taxa limite de exposição ao som de 85 decibéis (dB), 8 horas por dia, sendo este um valor máximo seguro a se expor uma pessoa durante um dia ? a cada acréscimo de 3dB, o tempo máximo seguro a se expor cai pela metade (geralmente esses dados são usados em indústrias para monitorar a saúde auditiva dos funcionários expostos ao ruído). Um aparelho de Mp3 ligado no máximo volume, tem a potência média de 105dB, portanto acima de 5 minutos já se tem dano ao aparelho auditivo.

Muitos fatores do desenvolvimento psicossocial dos adolescentes fazem com que estes tenham o desejo de escutar música em maior volume, o que varia de acordo como estilo musical, sexo (homens escutam música mais alto que as mulheres) e hábito. Um quarto dos adolescentes ultrapassa a dose máxima diária de ruído quando estão em ambientes ruidosos, 15% ultrapassa esse limite em ambientes pouco ruidosos e 9,5% mesmo em ambientes silenciosos, e comparando exames audiométricos (exame que mensura a perda de audição) das pessoas que não usam os fones com pessoas que usam e ultrapassam os 100% da dose de ruído máxima permitida por dia se comprova que os fones em alta intensidade por longo período de tempo podem causar perda auditiva irreversível. Interessante notar que o uso de fones de ouvido em ambiente ruidoso faz com que se tenha a tendência a usar sons mais elevados, acima de 121dB, e assim se tem dano auditivo em pouco tempo de uso.

Principais sinais da perda auditiva

Alguns sintomas estão relacionados a perda auditiva. O trauma causado pelo ruído causa danos as células ciliadas do ouvido interno e ao suprimento sanguíneo coclear, o que geralmente é temporário, durando de 16 a 48 horas, mas que com o tempo prolongado de exposição se tem dano permanente e o aparecimento de sintomas. Inicialmente a perda de audição propriamente dita não é tão percebida, pois a perda auditiva se inicia nas frequências mais agudas da nossa audição, o que não causa um dano social logo no início.

Os primeiros sintomas podem ser o zumbido, sensação de dor ou pressão nos ouvidos, hiperacusia (hipersensibilidade a sons), distorção sonora, percepção alterada de alguns tons e por fim perda auditiva permanente. Alguns estudos mostram que até 69% das pessoas tem sintomas auditivos após exposição a música, sendo o zumbido percebido de 8 a 69%. De 6 a 58% das pessoas tem sintomas relacionados ao uso de fones de ouvido.

Como prevenir a perda auditiva?

Inicialmente é importante se ter hábitos saudáveis, considerando o fato de que a obesidade e a desnutrição (principalmente pela baixa ingesta de vitamina B12 e antioxidantes) podem estar relacionados a perda auditiva. O tabagismo e o etilismo devem ser combatidos e as patologias como o Diabetes e as doenças cardiovasculares devem ser controladas e acompanhadas, pois sabe se que o descontrole dessas patologias pode estar relacionado a um aumento na velocidade da perda auditiva.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Em relação as perdas induzidas por ruído, sabe se que em ambientes ruidosos onde trabalhadores são expostos, deve se ter um controle ambiental e a obrigatoriedade do uso de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs - protetores auriculares).

Os fones de ouvido devem ser evitados em ambientes ruidosos, onde haja a necessidade de um volume elevado, e deve se também avaliar a qualidade do fone, sendo que esse deve ter uma boa capacidade de isolar o ruído externo, sendo ele intra-auricular ou com dispositivos isoladores de ruído. É prudente usar o volume no dispositivo sonoro em até 50% do máximo.

Em ambientes ruidosos como casas de shows e discotecas é importante se manter afastado das caixas de som e proteger o ouvido das crianças quando expostas a esses ambientes. Na presença de sintomas auditivos, principalmente do zumbido, deve-se procurar um otorrinolaringologista o quanto antes, para que se faça o diagnóstico da perda auditiva, por meio de um exame de audiometria, e que se possa tratar e principalmente evitar maiores danos à audição.

Escrito por: Cassiano Mangini Dias Malpaga | CRM SP - 162380 | Otorrinolaringologista do Hospital CEMA

Referências

(1) Analysis of Predisposing Factors for Hearing Loss in Adults, Joong Seob Lee,1* Hyo Geun Choi,1* Jeong Hun Jang,2 Songyong Sim,3 Sung Kwang Hong,1 Hyo-Jeong Lee,1 Bumjung Park,1 and Hyung-Jong Kim1 1Department of Otorhinolaryngology-Head and Neck Surgery, Hallym University College of Medicine, Anyang; 2Department of Otorhinolaryngology-Head and Neck Surgery, Kyungpook National University College of Medicine, Daegu; 3Department of Statistics, Hallym University, Chuncheon, Korea


(2) National Institute on Deafness and Other Communication Disorders (NIDCD), U.S. Department of Health and Human Services, https://www.nidcd.nih.gov/health/noise-induced-hearing-loss#6

(3) Music-induced Hearing Loss in Children, Adolescents, and Young Adults: A Systematic Review and Meta-analysis Carlijn M. P. le Clercq, Gijs van Ingen, Liesbet Ruytjens, and Marc P. van der Schroeff, Otology & Neurotology 37:1208-1216 2016, Otology & Neurotology, Inc

(4) Daily music exposure dose and hearing problems using personal listening devices in adolescents and young adults: A systematic review Wen Jiang, Fei Zhao, Nicola Guderley & Vinaya Manchaiah, International Journal of Audiology ISSN: 1499-2027 (Print) 1708-8186 (Online) Journal homepage: http://www.tandfonline.com/loi/iija20

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.