Guia da Dor Muscular: entenda tipos, causas e como aliviar cada um

A dor muscular não pode ser ignorada; veja diferentes tipos e como aliviar cada caso

POR INFORME PUBLICITÁRIO - PUBLICADO EM 15/10/2019

Salto alto, horas em frente ao computador, cuidado com a casa e a família e atividade física te lembram alguma coisa? Este é um cenário cada vez mais comum. A rotina da mulher moderna costuma ser exaustiva e esconde hábitos que acabam causando dores e inflamações musculares, atrapalhando a qualidade de vida dessa mulher multitarefa.

PUBLICIDADE

De acordo com a pesquisa Global Pain Index (2018), realizada pela farmacêutica britânica GSK e pela marca CataflamPro, 90% da população global relata ter sentido dores no 12 meses que antecederam o levantamento. E mais: três em cada dez brasileiros não sabiam a causa de suas dores musculares frequentes.

Por isso, se você acha que sentir dor nos ombros, nas costas ou dores musculares em geral após um longo dia de trabalho é algo normal, saiba que não é bem assim. Por isso, é fundamental conhecer o seu corpo, os tipos de dores e saber o que fazer em cada caso para minimizar o desconforto no âmbito profissional, emocional e pessoal.

Tipos e causa das principais dores musculares

A dor muscular é aquela que acomete os músculos, ligamentos, tendões ou outros tecidos do corpo. Na maioria das vezes, a dor surge quando o músculo recebe uma carga maior do que o organismo suporta ou sofre algum outro tipo de estresse. Além disso, as dores podem ser classificadas como aguda, de curta duração, crônica ou de longo prazo. Veja abaixo:

Costas e lombar: apesar da estrutura cervical ser apenas uma, quando se trata de dor é possível dividi-la entre costas e lombar. De acordo com o relatório da farmacêutica GSK, a dor nas costas (92%) é a principal reclamação das pessoas em todo o mundo, sendo maior até do que a dor de cabeça (88%) e seguida pela dor lombar (87%).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Quando a dor nas costas está localizada mais aos lados direito ou esquerdo, por exemplo, está relacionada a hérnias de disco, artrose ou esforço muscular. Já a dor lombar afeta principalmente a parte inferior da coluna e indica, principalmente, má postura.

Articulações: quando dor, inchaço e inflamação atingem as articulações, os sintomas podem representar um desconforto passageiro ou mesmo indicar um sinal de alerta para doenças crônicas, como artrite ou artrose, que precisam de acompanhamento médico e tratamento individualizado. Preste atenção aos punhos, joelhos, quadril e mãos, que são as partes do corpo mais afetadas pelas inflamações crônicas.

Pescoço e ombros: rigidez muscular, dor nos ombros e no pescoço são os sinais mais típicos do estresse. Quando uma pessoa está sobrecarregada, emocional ou profissionalmente, é comum sentir um "peso" extra nas costas. Estes sinais também estão associados à má postura, principalmente no caso de quem trabalha em frente ao computador.

Contusões: são aquelas manchas roxas que aparecem nas pernas, braços e outras partes do corpo, acompanhadas por inchaço na área afetada. Diferentemente dos demais tipos de dores, as lesões costumam aparecer após a prática de atividades físicas, devido ao forte impacto nos músculos. Quando a contusão é muito forte e o movimento atinge também os tendões, a dor pode ser mais intensa e causar dificuldade na movimentação do membro atingido.

Estiramento (distensão): o estiramento é caracterizado pelo alongamento (distensão) das fibras e vasos musculares além da capacidade do corpo, o que gera dor intensa, inflamação do músculo e até hematomas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O problema é bastante comum em atletas que realizam movimentos inadequados ou sem aquecimento prévio, mas pode acontecer com qualquer pessoa. Os principais músculos que estão sujeitos ao estiramento são os da panturrilha, virilha e posterior da coxa.

Como aliviar cada tipo de dor?

O primeiro passo para tentar se recuperar de uma dor muscular é diminuir o ritmo da rotina ou do exercício realizado, uma vez que os incômodos geralmente têm relação com sobrecarga física ou emocional. Por isso, é fundamental tirar um tempo para si e tentar relaxar. Para ajudar a aliviar a dor e tratar a inflamação, outra dica é usar CataflamPRO.

CataflamPro é um anti-inflamatório tão eficaz quanto comprimidos1, uma opção confiável e segura para o tratamento da inflamação muscular. Ele está disponível nas versões Emulgel e Aerossol que atua diretamente no foco da dor, promovendo alívio rápido2, tratando a inflamação e acelerando a recuperação.

Vale também investir em outros cuidados que diminuem as dores, como alongar-se sempre que possível, beber bastante água, meditar por alguns minutos todos os dias, entre outros. Veja mais:

Dor nas costas e lombar: opte por exercícios físicos de fortalecimento muscular e correção da postura e evite carregar peso em excesso, como sacolas e mochilas;

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Dor nas articulações: fazer atividades aeróbicas e, em caso de doenças crônicas, adaptar ambientes da casa;

Dor no pescoço e ombros: movimente essas partes do corpo em círculos sempre que possível e realize massagens com os polegares, pressionando os músculos;

Dor de contusão e estiramento (distensão): em ambos os casos, recomenda-se colocar gelo na região, elevar o membro afetado, evitar o esforço físico e procurar o médico caso o incômodo persista. Lembre-se que é fundamental fazer aquecimento e alongamento antes e depois de exercícios físicos e esportes, bem como utilizar acessórios de proteção.

CATAFLAMPRO (DICLOFENACO DIETILAMÔNIO) (MS 1.0107.0328). SE PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Indicações: dores nas articulações, nas costas, dores musculares e tendinites. CHBR/CHVOLT/0020/19-OUT/19

1 - Eficácia equivalente após 21 dias de uso de CataflamPRO Emulgel 4x ao dia vs Ibuprofeno 400mg 3x ao dia. Zacher J et al. Topisches Diclofenac Emulgel versus orales Ibuprofen in der Therapie der aktivierten Arthrose der Fingergelenke (Heberden- und/oder Bouchard-Arthrose).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

2 - CataflamPro age até 4x mais rápido quando comparado a pomadas/gels sem medicamentos. Referente à linha emulgel 1%. PREDEL, H.; GIANNETTI, B.; PABST, H.; SCHAEFER, A.; HUG, A.M.; BURNETT, I.; Efficacy and safety of diclofenac diethylamine 1. 16% gel in acute neck pain: a randomized, double-blind, placebo-controlled study, BMC Musculoskeletal Disorders, Nyon, 21 de agosto de 2013, 14, 250.

Referências:

FILHO, Q.D.B. Estiramento muscular: como reconhecer, prevenir e tratar. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/fitness/tudo-sobre/11964-estiramento-muscular Acesso em 07 Ago 2019.

INFORMEDHEALTH. Neck pain: Overview. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK338120/ Acesso em: 07 Ago. 2019.

MARTINS, C.O., JESUS, J.F. Estresse, Exercício Físico, Ergonomia e Computador. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 1999; 21(1): 807-813.

MAYO CLINIC. Back pain. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/back-pain/symptoms-causes/syc-20369906 Acesso em: 07 Ago 2019.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

MAYO CLINIC. Joint pain. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/symptoms/joint-pain/basics/causes/sym-20050668. Acesso em: 07 Ago 2019.

MAYO CLINIC. Muscle pain. Disponível em: http://www.mayoclinic.org/symptoms/muscle-pain/basics/causes/sym-20050866 Acesso em: 07 Ago 2019.

MAYO CLINIC. Shoulder pain. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/symptoms/shoulder-pain/basics/causes/sym-20050696. Acesso em 07 Ago 2019.

NIH. Low back pain fact sheet. Disponível em: https://www.ninds.nih.gov/Disorders/Patient-Caregiver-Education/Fact-Sheets/Low-Back-Pain-Fact-Sheet Acesso em 07 Ago 2019.

NHS. Back pain: Overview. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/back-pain/ Acesso em 07 Ago 2019.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

TEIXEIRA, M.J., et al. Fisiopatologia da dor músculo-esquelética. Revista de Medicina. 2001; 80 (spe1): 63-77.

CERVAEN, M., BARATA, P. Sensação retardada de dor muscular. Revista da Faculdade de Ciências da Saúde. 2009; 6: 186-196.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.