Crianças com hipertensão podem ter mais dificulades de aprendizagem

As chances são cerca de 20% maores que da população em geral

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 10/11/2010

Crianças que sofrem com hipertensão arterial têm maiores chances de ter dificuldades de aprendizagem, de acordo com um novo estudo da Universidade de Rochester, publicado recentemente na revista Pediatrics. Quando as variáveis como níveis sócio-econômicos foram analisados, as crianças com presssão alta tinham quatro vezes mais chances de ter problemas cognitivos. O estudo também descobriu que crianças com hipertensão têm mais chances de ter TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade) .

Na análise realizada com 200 crianças um total de 28% das que possuíam pressão alta tinham dificuldades de aprendizagem, bem acima da taxa da população geral. A porcentagem entre os sem hipertensão era de 9%. Todas as crianças tinham entre 10 e 18 anos de idade.

Além disso, em outros estudos comprovou-se que 20% das crianças com TDAH tinham hipertensão, enquanto apenas 7% das crianças sem hipertensão tinham transtorno.

PUBLICIDADE

Como lidar com o TDAH

O TDAH tem origem genética e, em geral, manifesta-se na infância, caracterizando crianças muito criativas, mas difíceis de lidar (elas são muito agitadas e, não raro, têm o comportamento confundido com falta de educação). Segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção, cerca de 60% das crianças com o transtorno chegam à idade adulta sem saber disso. Para os pais, valem algumas dicas para melhorar a vida de um filho com TDAH, pela psicoterapeuta Evelyn Vinocur.


1- Quando estabelecer regras, faça-as de modo simples e específico e escreva-as em post-its em locais de fácil visão para o seu filho.

2- Recompensas objetivas e que façam sentido, geralmente funcionarão melhor para o seu filho e elas não podem ser em excesso.

3- Dê feedback com frequência, para que eles saibam como estão indo.

4- Ajude seu filho a mudar de modo suave e gradativo, planejando com antecedência as atividades que virão posteriormente.

5-Mantenha o senso de humor e seja paciente: com humor, você terá condições de evitar conflitos.

6- Fique atento a todas as oportunidades para elogiar e fazer reforços positivos sempre que seu filho fizer algo corretamente. Mas tenha cuidado para não exagerar por conta de pequenos acertos, pois ele vai perceber, não se iluda.

7- Tenha sempre em mente que você está lidando com uma condição médica que seu filho tem e não uma falha de caráter.

8- Nas horas de impor disciplina, não fale muito nem seja mole responda com clareza e ação apropriada.

9- Espere que seu filho tenha dias bons e dias ruins.

10- Lembre-se que culpar o seu filho, ou você mesma, ou seu marido não vai ajudar em nada. Todos vocês estão juntos, no mesmo barco , e fazendo o melhor que podem.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.