Cozinha contém mais bactérias do que banheiro, diz estudo

Esponja de lavar louça pode conter germes causadores de doenças graves

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 06/04/2017

Os germes podem estar escondidos em lugares inesperados dentro de casa. Segundo um estudo feito pela NSF International, uma instituição não governamental que promove o desenvolvimento de técnicas para melhorar a saúde da população, os locais mais limpos são os banheiros, enquanto os que mais contêm germes são as cozinhas.

Durante a pesquisa, moradores de 22 cidades diferentes foram submetidos a testes sobre higiene em casa, além de responder a questionários sobre quais eram os lugares mais sujos da residência.

Para os voluntários, o lugar que mais abrigava germes e bactérias dentro de casa era a haste da escova de dentes. Mas, segundo os cientistas que fizeram os testes, as esponjas de lavar louça eram o objeto que mais abrigava organismos responsáveis por causar doenças. Foram encontrados coliformes que podem causar salmonela e intoxicação alimentar em 80% das cozinhas das casas estudadas.

Os pesquisadores mostraram que 77% das esponjas continha coliformes e que metade das pias de cozinha tinham a mesma bactéria. Os cortadores de carne também apresentaram um número alarmante de bactérias. Em contrapartida, apenas 9% dos banheiros, maior preocupação entre os entrevistados, continha bactérias nocivas à saúde.

De acordo com os autores do estudo, a higienização da cozinha é um passo muito importante para prevenir doenças, principalmente aquelas que envolvem o sistema digestório.

PUBLICIDADE

Cozinha limpa

Ela é feita para limpar, mas a esponjinha de lavar louças é o objeto que vira foco de bactérias na cozinha. Ao limpar pratos, talheres e panelas, por exemplo, ela também acumula fragmentos de alimentos e gordura, que junto com a umidade, acabam se transformando no lar ideal de microorganismos. Quem não foge a isso também é o pano de secar a pia. Como são agregadores de bactérias e fungos, os dois utensílios deveriam ser descartáveis. Mas, como não é bem assim que funciona, a dica é higienizá-los bem, com sabão e água quente, e esperar que sequem para guardá-los em local seco e limpo. Porém, mesmo que a esponja e o paninho sejam higienizados, a troca precisa ser periódica. Eles devem ser descartados quando a sujeira não puder ser removida ou antes de começarem a despedaçar.

A atenção vale para tábuas de bater carne, rolo de macarrão, escorredores de louça e para o lixinho de pia: todos devem ser lavados com cloro ou água sanitária para eliminar micro-organismos e, depois de secos, armazenados em local arejado. Segundo o especialista, a limpeza é fundamental para eliminar qualquer resíduo dos utensílios. As lixeiras devem ser limpas e desinfetadas após o uso, com álcool 70% ou cloro, e devem ser mantidas fechadas com a tampa.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.