Projeto Inspire busca acelerar o diagnóstico de câncer de pulmão

Ação formada por três empresas farmacêuticas visa ajudar a na identificação do subtipo de tumor

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 24/10/2017

O câncer de pulmão é a principal causa de morte entre homens e a segunda entre mulheres no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Durante muito tempo, o principal fator para desencadear um câncer de pulmão foi o tabagismo. Ele não deixou de ser um elemento de risco para desenvolver o tumor, mas não é o único.

PUBLICIDADE

Para se ter uma ideia as taxas de câncer de pulmão em não-tabagistas dobraram nos últimos 15 anos, passando de 8% para 20%. Segundo o oncologista Marcelo Cruz, do Developmental Therapeutics Program na Northwestern University Feing Scholl of Medicine, fatores como poluição, fumo passivo, alterações genéticas e exposição ao radônio, um gás radioativo localizado no solo de regiões ricas em minério, podem aumentar o risco de câncer de pulmão na população.

Além disso, um dos motivos que faz com que o câncer de pulmão seja tão nocivo é o fato de ele ser diagnosticado, na maioria das vezes, em estágio avançado. Isso porque na fase inicial, ele não apresenta sintomas. Sendo assim, quando os primeiros sinais se manifestam, o tumor já está em um nível mais agressivo.

Outra questão é o longo período entre a investigação e o diagnóstico do tumor. De acordo com Cruz, a jornada do paciente, período que inicia com a investigação do tumor e vai até o recebimento do diagnóstico, pode levar cerca de dois meses e meio. Segundo ele, além de causar danos emocionais ao paciente, esse período de incerteza, atrasa o tratamento e pode fazer com que o tumor avance. reduzindo assim as chances de eficácia do tratamento.

O câncer de pulmão pode ser dividido em dois grupos principais:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Câncer de pulmão de pequenas células: é o câncer que se espalha de forma mais rápida pelo pulmão. O tumor de pequenas células pode ser dividido entre carcinoma de pequenas células e carcinoma de pequenas células combinadas. Aproximadamente 15% de todos os casos de câncer de pulmão são de pequenas células, sendo mais comum em homens do que mulheres. É a forma mais agressiva, iniciando geralmente nos brônquios e com alto potencial para criar metástases em outras partes do corpo, como cérebro, fígado e osso. Quase todos os casos ocorrem por causa do tabagismo. Confira os tipos de câncer de pulmão de pequenas células

Câncer de pulmão de não pequenas células: esse tipo de câncer de pulmão está dividido em três subtipos. Há diferentes tipos de genes relacionados com o câncer de pulmão de não pequenas células. Confira aqui os tipos de câncer de pulmão de células não pequenas.

Projeto Inspire

Como forma de ajudar a mudar esse cenário e possibilitar que os pacientes de câncer de pulmão tenham a possibilidade de obter, de forma mais rápida, o diagnóstico de seu tipo de tumor, foi desenvolvido o projeto Inspire.

O projeto foi desenvolvido pelas empresas AstraZeneca, Briton-Myers Squibb e Pfizer. Cada empresa desenvolveu uma plataforma específica, que contém websites próprios, centrais de atendimento 0800 e parcerias com laboratórios. E possibilita que os médicos cadastrados façam solicitações de exames específicos aos seus pacientes e recebam os resultados em até 17 dias.

Funcionalidades do projeto Inspire

As análises elaboradas pelo projeto Inspire têm como objetivo ajudar a rastrear possíveis alterações genéticas presentes nos tumores de câncer de pulmão, a fim de possibilitar um diagnóstico mais assertivo ao paciente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A plataforma ID, desenvolvida pela AstraZeneca tem como intuito identificar se há o tumor conta com a alteração genética EGFR, um tipo de proteína associada com o crescimento e sobrevida celular expressa nos tumores de câncer de pulmão. Segundo o diretor executivo médico da AstraZeneca Brasil e América Latina, Marcelo Horácio, identificar esse tipo de tumor pode ajudar a definir se o tratamento será feito com medicamentos específicos para impedir a ativação desses biomarcadores, o que pode tornar o tratamento mais assertivo, melhorando assim a qualidade de vida do paciente.

Outro tipo de alteração genética pode acontecer no gene ALK. Segundo a Oncoguia, cerca 5% dos cânceres de pulmão de não pequenas células têm uma mutação no gene ALK. Essa alteração faz com que uma proteína se desenvolva e faça com as células cresçam e se disseminem. Diante disso, a Pfizer desenvolver o teste ALK Alvo. O diretor médico da Pfizer Eurico Correia, explica que o teste busca identificar a proteína presente na superfície dos tumores de câncer de pulmão, possibilitando que o médico indique o melhor tratamento para combatê-lo.

Um dos testes realizados dentro do rastreamento de mutações genéticas do câncer de pulmão é o PD-L1. Dentro do projeto Inspire, ele se chama I-O Detect e foi desenvoldivo pela Bristol-Myers Squibb. O diretor médico da BMS Roger Shoji Miyake explica que a função deste teste é indicar a probabilidade de resposta ao tratamento do imuno-oncológicos, de forma a identificar quem poderá ser favorecido deste tipo de terapia. por meio de uma análise do tumor.

Como ter acesso ao projeto Inspire

Os exames do projeto Inspire podem ser solicitados pelos médicos como parte do rastreamento de exames de câncer do pulmão. Ele está disponível tanto para pacientes da rede suplementar quanto pacientes do SUS. Isso porque os exames são subsidiados pelas próprias empresas.

De acordo com os executivos, o projeto Inspire tem como meta empoderar os pacientes. Por isso, se você tiver interesse mais sobre os exames realizados no projeto Inspire, converse com o seu médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.