Sarampo: número de mortes cai para menos de 100 mil pela 1ª vez

De acordo com a OMS e outras agências internacionais, aproximadamente 90 mil pessoas morreram por conta da doença em 2016

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 27/10/2017

O número de mortes anuais em todo o mundo pelo sarampo ficou pela primeira vez abaixo de 100 mil em 2016. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (26) por agências internacionais, aproximadamente 90 mil pessoas morreram por conta da doença no ano passado.

PUBLICIDADE

Nos últimos 16 anos, as mortes por sarampo caíram 84%, quando esta doença contagiosa chegou a matar 550 mil pessoas. O relatório foi produzido em uma parceria entre o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, a Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (GAVI), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Desde o ano 2000, foram distribuídas 5,5 bilhões de doses de vacinas contra o sarampo o que permitiu salvar 20,4 milhões de vidas, apontam os órgãos. No entanto, a OMS alerta que as campanhas de vacinação devem se intensificar ainda mais.

Apesar da diminuição de mortes registradas, as agências advertem que o mundo ainda está longe de conseguir seus objetivos regionais para a eliminação do sarampo.

"A aplicação da primeira dose de vacinas necessárias está estagnada em cerca de 85% desde 2009, distante dos 95% necessários para deter a infecção. E a cobertura da segunda dose, apesar de uma recente alta, era apenas de 64% em 2016", revelaram os autores do estudo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

De acordo com o artigo, a Nigéria, Índia e Paquistão são os países com maior quantidade de crianças não vacinadas. "Não podemos permitir complacência. Muitas crianças ainda não recebem vacinas que salvariam suas vidas. Para chegar a elas e fixarmos um objetivo realista para a eliminação do sarampo, temos que melhorar drasticamente a imunização rotineira com o apoio de fortes sistemas de saúde", disse o executivo-chefe da GAVI, Seth Berkley.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.