Doença relacionada ao cigarro eletrônico ganha nome

Lesão pulmonar ligada ao uso de cigarro eletrônico já teria provocado 26 mortes apenas nos Estados Unidos

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 18/10/2019

Uma doença pulmonar ligada ao uso de cigarro eletrônico tem intrigado cientistas do mundo todo após causar a morte de 26 jovens apenas nos EUA. A partir de estudos, a enfermidade recebeu algumas definições e ganhou um nome oficial: Evali.

PUBLICIDADE

A denominação é uma forma abreviada em inglês para "lesão pulmonar associada ao uso de produtos como cigarro eletrônico ou vaping", dada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Mortes por uso de cigarro eletrônico

Até o momento, os Estados Unidos já confirmaram cerca de 1.300 casos de lesões pulmonares devido ao uso de cigarro eletrônico. Dentre esses, 26 pessoas morreram em decorrência da gravidade do quadro.

Entidades americanas têm anunciado que, em todas as ocorrências, houve o uso do produto com nicotina (que causa dependência) e THC (tetra-hidrocanabinol, princípio ativo da maconha).

Outras pesquisas ainda tratam a hipótese de que o vapor produzido por cigarros eletrônicos e vaping é responsável por desativar células do sistema imunológico do pulmão. Assim, o organismo fica mais propenso a inflamações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Por outro lado, ainda não se sabe se, de fato, essas substâncias ou o vapor têm correlação com o surgimento da Evali. Portanto, mais estudos são necessários para estabelecer o que tem causado a doença respiratória que pode ser fatal.

Nenhum composto ou ingrediente surgiu como a causa dessas lesões até o momento; e pode haver mais de uma causa. Os dados disponíveis sugerem que os produtos que contêm THC desempenham um papel nesse surto, mas os produtos químicos específicos responsáveis pela Evali ainda não foram identificados; e os produtos que contêm nicotina não foram excluídos como uma possível causa.

Sintomas da Evali

Cientistas têm apontado que os principais sintomas da Evali, lesão pulmonar associada ao uso de cigarro eletrônico ou vaping, são:

Sintomas da Evali, doença pulmonar causada pelo cigarro eletrônico, podem ser confundidos com gripe ou pneumonia - Foto: Shutterstock
Sintomas da Evali, doença pulmonar causada pelo cigarro eletrônico, podem ser confundidos com gripe ou pneumonia

Alguns dos sinais são bastante semelhantes ao da gripe e demais infecções respiratórias, como a pneumonia. Por isso, o CDC orienta que, ao notar algum dos sintomas, a pessoa procure atendimento médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Grupos de risco

A entidade ressalta também que os principais grupos de risco da doença são pacientes com:

  • Histórico de doença pulmonar
  • Histórico de doença cardíaca
  • Idade avançada
  • Gravidez

Porém, dentre os casos confirmados de Evali, 80% tinham idade inferior a 35 anos e 15% eram menores de idade.

Tratamentos

Como a doença ainda requer novos estudos, os tratamentos realizados atualmente visam amenizar os sintomas dos pacientes. Por isso, aqueles que apresentam Evali geralmente são tratados com corticoides em internação hospitalar.

Cigarros eletrônicos no Brasil

No Brasil, os cigarros eletrônicos foram batizados de DEFs (dispositivos eletrônicos para fumar) e são proibidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O órgão justifica a proibição pela falta de evidências capazes de comprovar que o uso de cigarros eletrônicos é seguro.

Em setembro deste ano, Pedro Ivo Brito foi internado com Evali após o uso constante de cigarro eletrônico. O publicitário de 29 anos chegou ao Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, com fortes dores no peito, tosse e dificuldade para respirar.

Pedro foi submetido a uma cirurgia por vídeo e colocação de dreno devido a um derrame de líquido na membrana que recobre o pulmão.

O jovem fez um alerta em suas redes sociais, conscientizando seus seguidores sobre os malefícios do cigarro eletrônico:

Desde muito novo brinquei com fogo: fumei. Se tivesse ouvido meus pais saberia que brincadeira de fogo não funciona mesmo, nem para crianças e nem para adultos. [...] Me embalei nessa onda social quase por um descuido pautado em 'tendências'. Parei não por conta própria e, sim, porque essa mesma vida me ligou um sinal vermelho e disse: 'CHEGA!'. Obedeci. Um pouco tarde, mas ainda em tempo.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Relação com o cigarro

Veja 7 métodos que ajudam a parar de fumar

Entenda por que a nicotina pode levar à depressão

Descubra prós e contras da terapia de reposição de nicotina

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.

Mais sobre