São Paulo registra 14ª morte por sarampo

Criança de 1 ano e 10 meses é mais uma vítima fatal da doença, que tem acometido principalmente bebês; saiba como proteger sua família

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 07/11/2019

Mais uma morte por sarampo foi confirmada em São Paulo, somando 14 óbitos em todo o Estado. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, a nova vítima fatal da doença era uma criança de 1 ano e 10 meses, natural de Limeira, cidade que fica a 144 km da capital paulista.

PUBLICIDADE

Com a nova confirmação, um dado alarmante chama a atenção no cenário epidêmico do sarampo: metade dos óbitos registrados em SP são de crianças com menos de 2 anos de idade, o que serve de alerta para que pais ou responsáveis protejam seus pequenos.

Vítimas de sarampo em SP

A primeira vítima fatal do sarampo em São Paulo foi um homem de 42 anos. Desde então, no período de quase três meses, outras 13 mortes relacionadas à doença foram registradas, sendo que sete eram crianças com menos de dois anos.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Limeira, consta que a bebê havia tomado as duas vacinas contra sarampo, conforme o calendário oficial de vacinação. Portanto, seu caso é considerado raro.

Os pais levaram a criança ao hospital com sintomas de febre, tosse e chiado no peito. O caso se agravou e no mesmo dia veio a óbito.

Ao contrário desse caso,nenhuma das outras vítimas de sarampo em SP tinha histórico de vacinação contra o sarampo. Por isso, é importante se atentar aos cuidados com a prevenção da doença, como forma de garantir a saúde e bem-estar da família - especialmente no caso das crianças menores.

Por que o sarampo atinge mais bebês?

De acordo com a Secretaria de Saúde, os bebês de 6 meses a 1 ano compõem a faixa etária mais vulnerável a mortes por sarampo. Este grupo representa mais de 15% dos casos da doença confirmados em SP, que já atingiu 8.516 mil pessoas. No Brasil, são mais de 10 mil ocorrências de sarampo apenas em 2019.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Bebê é 14ª morte confirmada por sarampo em SP - Foto: Shutterstock
Bebê é 14ª morte confirmada por sarampo em SP

Os bebês são mais sensíveis ao sarampo, porque ainda estão com o sistema imunológico em formação (imunidade adaptativa), sendo mais suscetíveis a contrair doenças. A imunidade das crianças pequenas pode ser dividida em:

  • Imunidade inata: que nasce com o bebê a partir da gravidez.
  • Imunidade adaptativa: que é adquirida após o nascimento por meio de vacinas, medicações e aleitamento materno, para uma maior produção de anticorpos.

Portanto, quanto mais novo for o bebê, menor será sua imunidade. Somente a partir dos dois anos de idade as crianças terão um sistema imunológico mais fortificado, pois, pelo calendário oficial de vacinação, já teriam tomado grande parte das vacinas primordiais.

Importância da vacinação infantil

Além da amamentação, a forma mais eficaz de proteger os bebês contra o sarampo e demais doenças é por meio da vacinação infantil. A imunização contra a doença ocorre da seguinte maneira:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Ambas as vacinas são oferecidas gratuitamente em postos de saúde. E apesar de a primeira dose ser indicada somente com um ano de vida, os postos de saúde têm recebido crianças de 6 meses a 5 anos para a imunização do sarampo.

Mesmo com o encerramento da campanha de vacinação para este grupo, cujo objetivo foi realizar uma força tarefa para imunizar os bebês, é aconselhado levar os pequenos para tomar a vacina. Afinal, eles estão no grupo de risco e mais propensos a casos graves e óbitos por sarampo.

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de você.

Bebês que não podem tomar vacina: o que fazer?

A vacina contra o sarampo é contraindicada para bebês com menos de 6 meses de idade e/ou com doenças autoimunes. Neste caso, a recomendação é que os pais e responsáveis evitem a exposição das crianças a locais com aglomeração de pessoas, além de manterem uma frequente e adequada higienização em casa.

Em caso de sintomas da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas dentro da boca, os responsáveis devem levar o bebê até um serviço de saúde imediatamente.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Campanha de vacinação

Em outubro, a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo imunizou mais de 400 mil crianças durante a primeira fase da campanha de vacinação.


Entre os dias 18 e 30 de novembro, acontece a segunda fase, com foco na imunização de jovens entre 20 e 29 anos - que também é um grupo de risco para casos agravados da doença e necessitam da vacinação urgente.

Dúvidas sobre sarampo

Descubra quais são as reais causas do sarampo

Veja se quem já tomou a vacina de sarampo há anos corre perigo

Confira onde e como tomar a vacina tríplice viral

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.