Johnny perguntou:

Sinto todos os sintomas de infarto por causa das minhas crises de ansiedade como diferencio isso?

  • Respondido em 10/04/2017
    Adriana de Araújo Psicologia - CRP 56802/SP
    especialista minha vida
    Olá,

    O melhor é sempre seguir um tratamento para cura do que precisa. Na dúvida, tenha suas consultas regulares com o cardiologista que poderá lhe ajuda na sua saúde física. E tratamento para as questões emocionais (médico psiquiatra, se indicado, e psicólogo). Se há ansiedade e crises de ansiedade vale a atenção para esse ponto. Para diminuir a ansiedade e conseguir se curar disso é preciso:
    - entender as causas (um médico e um psicólogo podem ajudar na compreensão)
    - criar um planejamento de cura e melhora emocional
    Para que isso aconteça o melhor é uma avaliação com o médico para:
    - investigar o que você tem;
    - entender e dar um diagnóstico;
    - tratar e orientar para cura e bem estar.
    Busque sessões com um psicólogo para além de ajudar nos item acima também, construir novos caminhos de fortalecimento emocional para a cura e bem estar. Ser capaz de superar problemas, criar resiliência, aumentar auto estima faz todo a diferença na qualidade de vida que se pode ter.
    Aproveito para falar alguns pontos sobre ansiedade. Existem muitas causas para alguém desenvolver respostas de ansiedade. Vou falar mais sobre o tema para que você possa escolher melhores ideias para se ajudar no processo de cura. Para poder acabar e tratar a ansiedade é importante não só entender o que é, mas como isso afeta sua vida diretamente, pois os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. No geral, a ansiedade é a resposta a sentimentos e pensamentos que acompanham as pessoas ao longo da vida, ou seja, é algo normal, porém pode estar intensificado, causando mal estar e grande desconforto.
    Ansiedade dosada é boa, em excesso faz mal. Ou seja, a ansiedade em si, não é mesmo o problema, mas a intensificação dos sintomas, sim, impedindo a pessoa de viver de forma plena e segura. É natural sentirmos ansiedade em determinados momentos, por exemplo, numa experiência nova, como uma prova, um teste, ou algo que temos que expor uma ideia ou apresentação. Mas esse sentimento é negativo ou paralisante, algo está errado. A ansiedade pode causar muitos sintomas físicos ruins, além dos emocionais que afetam a qualidade das ideias, escolhas e ações.
    Muitas pessoas sentem-se ansiosa por não saberem lidar com o grau de exigência pessoal, por não conseguir organizar-se dentro do tempo necessário para as coisas e também pela preocupação excessiva com o futuro. Quem perde o foco no agora, pode ficar mais preocupado e ansioso. Pode parecer um pouco difícil tratar e se livrar de vez da ansiedade, mas com um pouco de disciplina, auto percepção, tratamento especializado, você poderá se curar e sentir-se bem melhor com isso tudo. Algumas pessoas, aprendem esse comportamento, por exemplo, com os pais, sem perceber que essa não é a melhor resposta a ser dada. Quando se está com medo, também há uma resposta de ansiedade. Assim, como a impaciência e nervosismo.
    O transtorno da ansiedade generalizada, é um distúrbio caracterizado por sintomas, como:
    - mente agitada;
    - preocupação excessiva com o futuro;
    - coração acelerado;
    - tremor nas mãos;
    - tremor nas pernas;
    - tremor no corpo;
    - expectativa negativa sobre algo;
    - angústia e apreensão;
    - dificuldade de controlar pensamentos acelerados;
    - cansaço excessivo;
    - dificuldade de concentração;
    - humor alterado;
    - irritação (falta de paciência) - que pode levar a brigas e desentendimentos;
    - agressividade;
    - rubor;
    - suor excessivo;
    - tensão muscular;
    - dificuldade de relaxar;
    - ações compulsivas e impensadas;
    - ganho ou perda de peso.
    O ideal é você entender quais pontos lhe causam maior preocupação. Como você lida com a ansiedade do seu dia a dia? Como você tem organizado suas ações para que possa combater a tensão?
    Para alívio e cura dos sintomas, sugiro técnicas de relaxamento corporal, respiração, atividade física, hipnose, meditação, psicoterapia e uma boa avaliação com um médico ou psicólogo que será capaz de indicar um tratamento qualificado para você. Uma dessas técnicas, como a hipnose, por exemplo, ou mais quando combinadas e indicadas por um profissional qualificado surtirá efeito na cura e bem estar. No meu site curadalma você encontra um áudio de hipnose para uso complementar de cura da ansiedade, é um material que pode ser adquirido para atura em parceria com o tratamento feito. Sua melhora virá e os benefícios serão rapidamente sentidos.
    Boa sorte! Sucesso naquilo que você busca e até breve!

    PUBLICIDADE
  • Respondido em 10/04/2017
    Carmen Bitaraes Coutinho Alves Psicologia - CRP 36274/MG
    Olá,

    O infarto é uma doença física que apresenta risco de morte imediata, o transtorno de ansiedade é uma doença do psiquismo que pode ter manifestações físicas, por isto, num primeiro momento pode ser confundida com um processo de infarto, principalmente se o tipo de ansiedade for o Transtorno de Pânico.

    As duas doenças tem alguns sintomas semelhantes principalmente dor no peito, tontura, dificuldade de respirar, sudorese, mas também tem suas diferenças. O Infarto sozinho, dificilmente gera tremedeiras e dormências, comumente encontradas nos ataques de pânico. A sensação de irrealidade, de estar enlouquecendo, também auxilia na diferenciação, pois, somente acontecem nos ataques de pânico. Dores no estômago, costas e braço esquerdo, neste contexto, são indícios de infarto não se relacionando com o pânico.

    Se for a primeira vez que a pessoa estiver sentindo sintomas como dor no peito, taquicardia, ou se o sujeito apresenta fatores de risco como vida sedentária, diabetes, pressão alta, casos de doenças cardíacas na família, deve imediatamente procurar o Pronto Atendimento.

    Para que sejam excluídas doenças cardíacas, o paciente pode ser submetido a exames investigativos como eletrocardiograma, holter, ecocardiograma e num segundo momento até a exames mais específicos/invasivos, a critério médico.

    No caso de se concluir pelo bom funcionamento do coração, o médico geralmente aconselha o paciente que procure um Psicólogo para averiguar causas psíquicas.

    Com a rápida explicação acima, espero que você possa tomar as providências devidas relativas ao seu caso, pois diferenciar as duas doenças é trabalho de um especialista. Entretanto, é muito importante que você e os pacientes em geral se informem sobre as doenças que lhe são diagnosticadas.

    Abraços.

    Psicóloga Carmen Bitarães (Belo Horizonte)

    PUBLICIDADE