Kennia perguntou:

Como a acetilcisteína é usada para tratar mania de arrancar os cabelos?

  • Respondido em 01/11/2015
    Dra. Evelyn Vinocur Psiquiatria - CRM 303514/RJ
    especialista minha vida
    Olá,

    A Tricotilomania é um transtorno do controle dos impulsos e afeta entre seis a oito milhões de pessoas só nos Estados Unidos.
    O problema se caracterizada pelo arrancar recorrente dos fios do cabelo, resultando numa perda significativa de cabelo de qualquer parte do corpo, como da cabeça, sobrancelhas, axila, perna, braços. Os pacientes que sofrem desta doença sentem uma tensão imediatamente antes arrancarem os cabelos e uma sensação de prazer, gratificação ou alívio após este ato.
    -Medicações psiquiátricas costumam ser prescritas para pessoas que sofrem do problema, com graus variáveis de melhora dos sintomas. De modo geral, são usados os mesmos medicamentos para o tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo (antidepressivos, antipsicóticos, etc.). Entretanto, o tratamento em monoterapia (com um só medicamento) geralmente não basta para acabar de vez com os impulsos de arrancar cabelo, ou seja, é importante que o tratamento dessa condição seja multifatorial.
    * Artigos recentes da literatura científica vem pesquisando novos tipos de tratamento para a tricotilomania. Um estudo científico publicado nos “Archives of General Psychiatry” pesquisou um aminoácido, a N-acetilcisteína, que parece restaurar a concentração de um neurotransmissor, o glutamato, à nível extracelular (no nucleus accumbens, no SNC) e que oferece a promessa de reduzir comportamentos compulsivos. Ou seja, essa é a primeira pesquisa (de nosso conhecimento) que analisa a eficácia de um agente glutamatérgico no tratamento da tricotilomania. Os resultados do estudo mostraram que a
    N-acetilcisteína trouxe reduções estatisticamente significativas nos sintomas da doença, que não houve nenhum evento adverso com o uso da N-acetilcisteína e que a droga foi bem tolerada. Apesar dos resultados promissores, o estudo concluiu que mais pesquisas precisam feitas no tema.
    Outras medidas devem ser tomadas:
    -Terapia cognitivo-comportamental - TCC - é usada com frequência para tratar o transtorno. Ela ajuda os pacientes a aprenderem como resistir aos impulsos e a encontrar comportamentos adequados e neutralizadores para quando o impulso surgir. A terapia também ajuda a identificar e a lidar com o estresse causado e também a aprender como evitar essas situações. A tricotilomania não tem um método de cura rápida e eficaz.
    -Quando a perda de cabelo da cabeça for muito extensa, orienta-se que a pessoa raspe a cabeça e coloque uma prótese capilar de cabeça inteira. Tal medida costuma gerar resultados bem satisfatórios.
    Fonte:
    N-Acetylcysteine, a Glutamate Modulator, in the Treatment of Trichotillomania - A Double-blind, Placebo-Controlled Study -Arch Gen Psychiatry. 2009;66(7):756-763. doi:10.1001/archgenpsychiatry.2009.60.

    PUBLICIDADE