Ceratocone: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Ceratocone?

O ceratocone é uma condição caracterizada pela deformação progressiva da curvatura da córnea, provocando nela um afinamento em forma de cone. A córnea é uma estrutura transparente que reveste a parte anterior do olho.

Foto: Reprodução/Shutterstock
Córnea normal e ceratocone
PUBLICIDADE

À medida que a córnea se afina, o paciente percebe uma baixa da acuidade visual (clareza da visão), a qual pode ser moderada ou severa, dependendo da quantidade do tecido corneano afetado.

O início da doença é geralmente na adolescência, com uma progressão gradual até os 28-30 anos de idade. O avanço da condição na córnea pode resultar em miopia e astigmatismo, trazendo sintomas como visão embaçada e distorcida, o que dificulta tarefas diárias como ler ou dirigir.

A incidência de casos de ceratocone varia entre 50 a 230 a cada 100.000 pessoas e a prevalência estimada é de 54,5 a cada 100.000 pessoas.

Estágios do ceratocone

O ceratocone tende a evoluir ao longo de quatro fases:

  • Inicial: sintomas são mais leves e podem ser satisfatoriamente corrigidos com o uso de óculos
  • Segunda fase: os óculos já não corrigem o problema. Observa-se um astigmatismo mais elevado, afinamento e saliência da córnea e o paciente somente consegue manter uma boa clareza da visão se o seu astigmatismo for corrigido com lente de contato rígida
  • Terceira fase: a córnea já está bem proeminente, saliente, irregular e bastante comprometida. Nesse estágio, há a necessidade de, em alguns casos, adaptar uma lente gelatinosa por baixo com a finalidade de proteger a córnea, e uma lente rígida por cima, na parte mais externa, que efetivamente corrige o grau
  • Quarta fase: a lente já não para mais no olho ou a córnea torna-se opaca, o que torna a visão deficiente. Dessa forma, o transplante de córnea é indicado.

O que é a córnea?

A córnea localiza-se na parte anterior do globo ocular e compõe a parte fibrosa do olho. Ela tem duas funções principais: proteger o resto do olho contra poeira, germes e outros materiais nocivos ou irritantes, e agir como a lente mais externa do olho, dobrando a luz recebida na lente interna, onde a luz é direcionada para a retina (uma camada membranosa de células sensíveis à luz na parte de trás do olho).

A retina converte a luz em sinais nervosos específicos, que são então transmitidos ao cérebro para formar imagens. A córnea deve permanecer clara (transparente) e na forma adequada para poder concentrar a luz recebida.

A córnea possui cinco camadas: epitélio, membrana de Bowman, estroma, membrana de Descemet e endotélio. Veja imagem abaixo:

Foto: Reprodução/Shutterstock
Estrutura da córnea

“O estroma que compreende a maior parte da córnea tem aproximadamente 500 microns de espessura e é uma rede altamente ordenada de fibrilas de colágeno e matriz extracelular. No ceratocone, o principal defeito clinicamente observável é o afinamento do estroma”, afirma a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho.

Causas

Embora as causas do ceratocone ainda não sejam completamente compreendidas, os especialistas acreditam que a condição ocorre por uma combinação de múltiplos fatores, incluindo genéticos e ambientais.

Especialistas acreditam que alguns indivíduos que desenvolvem ceratocone têm predisposição genética para desenvolver o distúrbio. Uma pessoa geneticamente predisposta a um distúrbio carrega um gene (ou genes) para o distúrbio, mas a condição pode não ser expressa a menos que seja desencadeada ou “ativada” sob certas circunstâncias - por conta de fatores ambientais específicos, por exemplo. Pesquisas estão em andamento para identificar genes específicos associados ao ceratocone.

Fatores de risco

Os fatores que podem aumentar as chances de desenvolver ceratocone são:

  • Histórico familiar de ceratocone
  • Coçar os olhos vigorosamente e com muita frequência
  • Ter algumas condições, como retinite pigmentosa, síndrome de Down, síndrome de Ehlers-Danlos, rinite alérgica e asma.

No entanto, a relação direta de causa e efeito entre esses distúrbios e o ceratocone não foi estabelecida. Além disso, a condição tende a se desenvolver mais frequentemente entre os adolescentes na puberdade ou durante os últimos anos da adolescência.

Exames

Após o diagnóstico inicial, o médico irá realizar uma paquimetria corneana (medida da espessura da córnea na área central) e a ceratoscopia corneana (topografia), que é um mapa colorido indicando as curvas da córnea.

Em seguida, é feito o exame de tomografia corneana, chamado de Pentacam – nesse exame é realizado um mapeamento paquimétrico detalhado e são traçados alguns índices com análises estatísticas, objetivando o estudo da biomecânica da córnea.

Como o ceratocone é uma doença que ocorre por deformidade da córnea, o oftalmologista estuda sua superfície e espessura em cada ponto para verificar se há a necessidade de tratamento, evitando a evolução do problema.

“Informações valiosas foram fornecidas para o diagnóstico e monitoramento do ceratocone por meio de estudos que apresentam sistemas de classificação baseados em parâmetros topográficos, tomográficos e biomecânicos combinados. Vários softwares recém-desenvolvidos, como o Enhanced Reference Surface e o display Belin-Ambrosio Enhanced Ectasia, podem ser empregados para detectar mudanças anteriores”, indica Keila Carvalho.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Ceratocone

O ceratocone geralmente afeta ambos os olhos, porém a progressão e gravidade da condição pode ser diferente em cada olho, assim como os sintomas (que podem piorar com o tempo).

No estágio inicial, os sintomas do ceratocone podem incluir:

  • Desfoque leve da visão
  • Visão levemente distorcida, onde as linhas retas parecem dobradas ou onduladas
  • Aumento da sensibilidade à luz (fotofobia).

Nos estágios mais avançados, os sintomas do ceratocone geralmente incluem:

  • Visão muito embaçada e distorcida
  • Aumento ou aparecimento de miopia e astigmatismo
  • A piora da visão é tanta que nem com lentes de contato ou óculos a visão melhora.

Além disso, existe um sinal que pode ser observado em casos avançados: o sinal de Munson. Trata-se de um recorte em forma de cunha da pálpebra inferior pela córnea quando o paciente está olhando para baixo. Confira a imagem abaixo:

Foto: Divulgação/WebEye
Sinal de Munson

Buscando ajuda médica

Consulte o oftalmologista se a sua visão estiver piorando rapidamente, o que pode ser causado por uma curvatura irregular do olho (astigmatismo). O especialista também pode procurar por sinais de ceratocone durante exames oftalmológicos de rotina.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar o ceratocone são:

  • Oftalmologista.

Estar preparado (a) para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Que tipos de sinais você tem observado?
  • Quando você começou a notá-los?
  • Quão severos são seus sintomas?
  • Alguma coisa parece melhorar seus sintomas?
  • Alguém da sua família tem ceratocone?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para ceratocone, algumas perguntas básicas incluem:

  • Qual é a causa mais provável dos meus sintomas?
  • Preciso de algum teste para diagnosticar?
  • Esta condição é temporária?
  • Quais tratamentos estão disponíveis?
  • Eu tenho outras condições de saúde. Como posso administrá-las juntas?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Ceratocone

Para diagnosticar o ceratocone, o oftalmologista revisará o histórico médico e familiar, e em seguida realizará o exame refratométrico (medida do grau dos óculos) e a ceratometria (medida da curvatura da córnea). Caso esses exames já indiquem um grau acentuado de curvatura da córnea, exames complementares serão recomendados pelo especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Ceratocone

O tratamento para o ceratocone depende da gravidade e rapidez com que a condição progride. Contudo, as opções de tratamento para a doença têm mudado significativamente nas duas últimas décadas. O principal objetivo do tratamento é impedir que a doença piore e proporcionar a reabilitação da visão.

O ceratocone leve a moderado pode ser tratado com óculos ou lentes de contato. Para a maioria das pessoas, a córnea ficará estável após alguns anos. Se você tem esse tipo, provavelmente não terá problemas de visão graves ou necessitará de tratamento adicional.

“Os óculos podem ser usados ??em estágios iniciais do ceratocone. Muitas vezes, é difícil obter uma visão satisfatória por causa de vários fatores da doença, como alto astigmatismo irregular e anisometropia significativa. As lentes de contato, por outro lado, podem oferecer melhor visão, abordando erros de refração e irregularidades da córnea em pacientes com ceratocone”, diz o oftalmologista Wilson Obeid.

Entretanto, algumas pessoas com ceratocone ficam com a córnea marcada e o uso de lentes de contato torna-se difícil. Nestes casos, a cirurgia pode ser necessária.

Tipos de lentes de contato para o tratamento de ceratocone

As opções de lentes de contato indicadas para pessoas com ceratocone são:

  • Lentes de contato gelatinosas: essa opção ajuda a corrigir a visão embaçada ou distorcida no ceratocone precoce. Mas as pessoas frequentemente precisam mudar sua receita para óculos ou lentes de contato à medida que a forma de suas córneas é alterada
  • Lentes de contato duras: costuma ser o próximo passo no tratamento do ceratocone progressivo. Capazes de proporcionar uma excelente visão, as lentes duras podem ser um pouco desconfortáveis ??no início. Mas a boa notícia é que uma muitos pacientes conseguem se adaptar a elas. Esse tipo pode, inclusive, ser feito para se ajustar especialmente às suas córneas
  • Lentes Piggy-back: se as lentes rígidas não funcionaram para você, o seu médico pode recomendar esse tipo, uma lente de contato dura em cima de uma lente macia
  • Lentes híbridas: essas lentes de contato têm um centro rígido com um anel mais macio ao redor do lado de fora para maior conforto. Pessoas que não toleram lentes de contato duras também podem preferir lentes híbridas
  • Lentes esclerais: são úteis para mudanças muito irregulares no formato da córnea em casos avançados. Em vez de repousar sobre a córnea como as lentes de contato tradicionais, as lentes esclerais ficam na parte branca do olho (esclera) e saltam sobre a córnea sem tocá-la.

Caso precise usar lentes de contato rígidas ou esclerais, certifique-se de que elas sejam colocadas por um oftalmologista experiente no tratamento de ceratocone. Você também precisará fazer exames regulares para determinar se a adaptação continua satisfatória. Uma lente mal ajustada pode danificar sua córnea.

Cirurgias para Ceratocone

Quando o tratamento com óculos ou lentes de contato não é suficiente, algumas opções cirúrgicas podem ser indicadas, como:

  • Anel de Ferrara: um pequeno dispositivo curvo é implantado na córnea, ajudando a achatar a curva da mesma para melhorar a visão. Esse procedimento possibilidade a restauração de seu formato, retarda o progresso do ceratocone e reduz a necessidade um transplante de córnea. Esta cirurgia também pode facilitar o ajuste e a tolerância das lentes de contato
  • Cross-linking: seu objetivo é fortalecer o tecido corneano e deter a progressão do ceratocone pelo uso de riboflavina (vitamina B2) combinado com a irradiação ultravioleta A (UV-A). A riboflavina desempenha o papel de fotossensibilizante no processo de fotopolimerização e, quando combinada com a irradiação UV-A, aumenta a formação de ligações covalentes colágenas interfibrilares à base de carbonila, por meio de um processo molecular
  • Transplante de córnea: quando os sintomas são graves, o oftalmologista pode sugeri-lo. Até recentemente, a técnica mais utilizada era o Transplante de Córnea Penetrante (PK), que consiste em retirar todas as camadas da córnea. No entanto, avanços nas técnicas cirúrgicas hoje possibilitam a preservação da camada da córnea do paciente com o Transplante Lamelar Anterior Profundo (DALK). Ambos os procedimentos usam como recurso adicional o Laser de Femtosegundo, que aumenta a precisão das cirurgias.“As vantagens do DALK em relação à PK clássica consistem em menores taxas de rejeição de enxerto, preservação de células endoteliais, prevenção de um procedimento a céu aberto e menor período de instilação pós-operatória de agentes esteróides, levando a menor incidência de catarata e glaucoma após a cirurgia. Por outro lado, as limitações da técnica DALK incluem as exigentes habilidades cirúrgicas necessárias para sua realização, além do fato de que é contraindicada em casos de córneas com cicatrizes, neovascularização ou hidropisia prévia”, aponta Wilson Obeid.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Ceratocone tem cura?

Atualmente não há cura para o ceratocone. E a doença ocular pode progredir ao longo da vida. Felizmente, no entanto, a maioria dos casos de ceratocone pode ser gerenciado com sucesso quando a doença é tratada da forma correta.

Complicações possíveis

Alguns casos de ceratocone avançado podem evoluir para hidropsia da córnea - o chamado ceratocone agudo, em que ocorrem rupturas na camada de Descemet, às vezes associada com fissuras estromais, que causam a entrada de humor aquoso no estroma, levando ao edema estromal e cicatrizes corneanas potencialmente severas.

Pacientes com esse avanço da condição geralmente relatam uma perda súbita de visão e algum desconforto no olho afetado, acompanhados de dor e injeção conjuntival (infecções agudas, alergias e trauma ocular), além de problema na clareza da visão.

Ceratocone pode causar cegueira?

O ceratocone geralmente não leva à cegueira completa, porém pode degradar a visão a um nível em que se terá dificuldade para levar uma vida normal.

Convivendo/ Prognóstico

Para o oftalmologista Marcelo Cavalcante, é essencial discutir suas preocupações com o oftalmologista. “A falta de conhecimento geralmente cria medo, então aprenda tudo o que puder sobre essa condição. Isso será esclarecedor e reconfortante. É importante entender a natureza do ceratocone”, comenta.

Embora seja importante que você aceite o ceratocone como um fato em sua vida e perceba que precisa se adaptar a ele, o ceratocone não é uma doença fatal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

Não há como prever se a condição irá progredir - contudo, a partir do histórico familiar é possível orientar e alertar a família quanto à possibilidade da doença, mesmo com a ausência de sintomas.

Segundo Marcelo Cavalcante, filhos de pais com ceratocone devem fazer uma topografia da córnea anualmente a partir dos 10 anos para monitorar a córnea. Mesmo que a topografia da córnea do seu filho seja normal, ainda é importante realizar o teste com essa periodicidade, uma vez que pode haver mudanças sutis ao longo do tempo que indicam que a doença começou. Com testes anuais, o médico pode comparar os resultados para identificar essas alterações, caso estejam presentes.

Para prevenir o ceratocone, os pacientes devem evitar a fricção dos olhos, já que isso pode danificar o tecido da córneas. Se você tem olhos irritados que fazem com que você esfregue-os constantemente, fale com o seu oftalmologista sobre medicamentos para controlar suas alergias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências