Coqueluche: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Coqueluche?

Sinônimos: tosse convulsa, pertússis

A coqueluche é uma doença respiratória altamente contagiosa, causada por uma infecção bacteriana e que atinge principalmente crianças e adolescentes. É geralmente marcada por tosse severa e seca, seguida por uma ingestão aguda de ar que soa como "grito”.

PUBLICIDADE

Mortes associadas à coqueluche são raras, mas podem acontecer principalmente em bebês e crianças. Por isso, é muito importante que grávidas e outras pessoas que entrarão em contato com uma criança que está por nascer sejam vacinadas contra a coqueluche.

Vacina tríplice bacteriana: previna-se de tétano, difteria e coqueluche

Causas

A coqueluche é causada pela infecção de uma bactéria chamada Bordetella pertussis - daí a doença ser conhecida também apenas como "pertússis". Esse microrganismo atinge o topo da garganta (faringe), dando origem às fortes tosses.

Como é a transmissão da coqueluche?

Quando uma pessoa infectada com coqueluche espirra ou ri, pequenas partículas de saliva ou muco contendo a bactéria são lançadas no ar. Então, a doença consegue infectar outras pessoas que respiram o ar contendo essas partículas.

Além disso, a bactéria pode contagiar outras pessoas caso o infectado entre em contato com alguém após espirrar ou tossir, cobrindo a boca e nariz com as mãos, que ficam contaminadas com as bactérias.

O período de incubação da doença varia de 7 a 14 dias. Isso quer dizer que, em até uma semana, a pessoas pode começar a apresentar os primeiros sintomas de coqueluche após ser infectada com a bactéria.

É importante notar que a infecção por coqueluche pode ocorrer em qualquer época do ano e em qualquer fase da vida, podendo atingir também pessoas adultas e idosos. Entretanto, a doença acomete principalmente as crianças menores de dois anos.

Fatores de risco

Os dois principais fatores de risco para se contrair coqueluche são referentes a vacinação. Pode ser que a vacina que você tomou quando bebê pare de fazer efeito com o passar dos anos, tornando você suscetível à doença novamente.

Além disso, as crianças não são totalmente imunes à coqueluche até que tenham recebido as três doses necessárias da vacina pentavalente (aquela que previne contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e Haemophilus influenzae B). Em alguns casos, pode ser que ela contraia a doença nesse intervalo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Coqueluche

Os sintomas de coqueluche podem durar cerca de seis semanas e acontecem em três estágios - especialmente nas crianças mais novas. Adultos e adolescentes podem não seguir esse padrão de sintomas.

Quais são as três fases da coqueluche

Estágio 1 (catarral): os sintomas são muito parecidos com um resfriado ou uma gripe comum.

  • Espirros
  • Coriza
  • Tosse
  • Olhos lacrimejando
  • Febre baixa

Esses sintomas podem durar entre vários dias até duas semanas. É nessa fase também que o paciente está mais suscetível a transmitir a doença.

Estágio 2 (paroxístico): os sintomas de resfriado tendem a desaparecer, mas a tosse fica pior - no que os médicos chamam de tosse espasmódica.

  • Tosse passa de leve e seca para severa e descontrolada
  • Você pode tossir tanto e tão intensamente a ponto de não conseguir respirar
  • Quando você finalmente consegue puxar o ar, soa como um "grito" agudo
  • Após uma crise de tosse, você pode vomitar ou se sentir muito cansado
  • Entre uma crise de tosse e outra, você se sente normal.

Os sintomas são mais severos nesta fase. Eles durante entre duas a quatro semanas, podendo perdurar por mais tempo.

Estágio 3 (convalescente): você ainda apresenta alguns sintomas, mas se sentirá melhor e recuperado, já que a doença começa a regredir.

  • A tosse pode ficar mais ruidosa
  • Crises de tosse podem acontecer em episódios isolados durante algumas semanas
  • Se você pega um resfriado ou gripe, os sintomas ficam mais intensos e a tosses mais frequentes

Adultos e adolescentes podem ter sintomas mais leves do que bebês e crianças pequenas. A gravidade dos sintomas depende também do clima e há quanto tempo a pessoa foi vacinada.

Geralmente, o conjunto de sintomas da coqueluche dura entre 6 a 10 semanas, mas pode durar mais.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procure um hospital em casos de tosses prolongadas, especialmente se a criança também apresenta:

  • Vômito
  • Coloração da pele vermelha ou azul, devido à falta de ar
  • Respire de forma ruidosa após as crises de tosse.

Se há suspeita de que você ou seu filho esteja com coqueluche, marque uma consulta médica ou com pediatra. Sintomas mais severos podem necessitar de uma visita com urgência para o departamento de emergência de um hospital.

Diagnóstico de Coqueluche

Diagnosticar coqueluche em estágios iniciais é difícil, uma vez que os sintomas são muito parecidos com os que outras doenças respiratórias.

Às vezes, médicos podem diagnosticar coqueluche simplesmente perguntando sobre os sintomas ou ouvindo o som da tosse. Em outros casos, o médico pode pedir alguns exames:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Coqueluche

Crianças geralmente são hospitalizadas durante o tratamento, uma vez que a coqueluche é perigosa nessa idade. Se seu filho não consegue comer ou beber, pode ser necessária a administração de fluídos intravenosos. Seu filho também pode ser mantido em quarentena para prevenir que a infecção se espalhe. Já o tratamento para crianças mais velhas e adultos pode ser feito em casa.

Antibióticos matam a bactéria causadora da coqueluche e ajudam na rápida recuperação. Infelizmente, não há muita coisa que pode ser feita para prevenir ou aliviar a tosse. Medicamentos para tosse tem pouco efeito sobre a coqueluche, por isso seu uso não é recomendado.

Medicamentos para Coqueluche

Os medicamentos mais usados para o tratamento de coqueluche são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

As dicas a seguir podem ser seguidas por qualquer um que está tratando a coqueluche em casa:

  • Relaxe e mantenha repouso
  • Beba muito líquido, como água, sucos naturais e sopas
  • Faça refeições pequenas, para evitar o vômito
  • Use um umidificador de ar no quarto, para ajudar a diluir as secreções pulmonares
  • Evite agentes irritantes no ar, como fumaça de cigarro e lareiras
  • Evite o contato da pessoa infectada com pessoas saudáveis.

Complicações possíveis

A maioria das pessoas se recupera da coqueluche sem complicações. No entanto, elas podem ocorrer, relacionadas principalmente com a tosse em formas mais graves. Entre as principais complicações estão:

  • Costelas machucadas ou rachadas
  • Hérnias abdominais
  • Vasos sanguíneos da pele ou olhos estourados.

Em crianças - especialmente aquelas com menos de 6 meses de idade - complicações da coqueluche são mais graves e podem incluir:

Como os bebês e crianças estão em maior risco de complicações da coqueluche, elas são mais propensos a precisar de tratamento em um hospital.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

A melhor forma de prevenir a coqueluche é a vacinação. No Brasil, a vacina que previne coqueluche é a tríplice bacteriana – que protege também contra difteria e tétano.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde
  • Organização Mundial da Saúde