Febre: tratamentos e causas

REVISADO POR
Dr. Sylvio Renan
Pediatria - CRM 24699/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Febre?

A febre (CID 10 - R50.9) é o aumento temporário da temperatura do corpo, muitas vezes devido a uma doença. Essa condição é um fenômeno de defesa do organismo, indicando que algo não vai bem. É chamada também de "pirexia" e costuma ser considerada a partir de 37,5º C.

PUBLICIDADE

Tem como função, através do aumento da temperatura, melhorar o tempo de resposta das células do organismo para destruir os invasores, geralmente vírus e bactérias.Ter febre é um sinal de que algo fora do normal está acontecendo em seu corpo e isto pode ocorrer em qualquer indivíduo, adulto, bebê ou criança.

Em outras ocasiões este mecanismo pode falhar, iniciando-se uma infecção, que pode ser leve ou grave, dependendo da força do micro-organismo e da imunidade do paciente.

O que é considerado febre?

Uma das dúvidas mais comuns é sobre quando considerar febre - e como saber se é estado febril, febre alta ou até hipertemia.

Médicos especialistas indicam como sanar esse questionamento através da medição da temperatura:

Cuidados

Estado febril e febre: como diferenciar?

Estado febril é a temperatura corporal que está um pouco acima do considerado normal, mas ainda não se caracteriza como febre. Nessa fase é preciso medir a temperatura constantemente, de forma a acompanhar a possível evolução para febre.

Já a febre é o aumento da temperatura normal, sendo mais elevada do que o estado febril. Por sua vez, a febre alta, como diz o nome, é um quadro de febre elevado e mais preocupante.

Hipotermia e hipertermia

Outros termos associados à temperatura corporal são hipotermia e hipertermia. Hipotermia se refere a uma temperatura muito abaixo do comum; enquanto hipertermia é o oposto: é um nível de febre extrapolante, com temperaturas altíssimas.

O que é considerado febre?

Uma das dúvidas mais comuns é sobre quando considerar febre - e como saber se é estado febril, febre alta ou até hipertermia.

Médicos especialistas indicam como sanar esse questionamento através da medição da temperatura (veja abaixo).

Quantos graus é febre em bebê

  • Hipotermia: abaixo de 35,5º C
  • Normal: entre 36º C e 37º C
  • Estado febril: entre 37,1º C e 37,5º C
  • Febre: temperatura anal por volta dos 37,8º C
  • Hipertermia: acima de 38º C

Há pais que se preocupam em sempre deixar o bebê aquecido, mas isso pode levar à febre em casos de muitas camadas de roupa. Por isso, quando o bebê apresentar estado febril, dê um banho de água morna e depois o vista retirando uma camada de vestimentas. Meça a temperatura novamente.

Já em casos de temperatura corporal baixa, vista mais uma camada de roupa no bebê e evite correntes de ar.

Em ambos casos se a temperatura não se normalizar, leve o bebê ao pronto-socorro mais próximo.

Vale ressaltar ainda que, além das roupas, a temperatura do bebê pode sofrer variações devido ao nascimento de dentes, reações a vacinas e ao calor/frio do ambiente.

Quantos graus é febre em adulto e criança

A partir de um ano de idade, a temperatura habitual de uma criança se assemelha a de um adulto. Por isso, podem ser classificados do mesmo modo.

  • Hipotermia: abaixo de 35,4º C
  • Normal: entre 35,4º C e 37,2º C
  • Estado febril: entre 37,4º C e 38º C
  • Febre: entre 38,1º C e 38,9º C
  • Febre alta: entre 39º e 39,9º C
  • Hipertermia: a partir de 40º C

Febre alta e hipertermia indicam infecções graves. Nesses casos, é necessário o encaminhamento para emergência no pronto-socorro mais próximo.

Como medir a temperatura

Para medir a temperatura corporal se utiliza o termômetro. Hoje no mercado há três tipos de termômetros mais usados, todos eficazes para a medição.

  • Termômetro de mercúrio: é o tipo mais comum para usálo, basta colocar a ponta metálica na axila, em contato direto com a pele e esperar, pelo menos, 3 minutos para verificar a temperatura (a ser indicado pelo traço colorido)
  • Termômetro digital: costuma ser mais usado por enfermeiros, em que basta apontar a ponta do termômetro para a testa ou dentro do ouvido e após o bip mostrará a temperatura
  • Termômetro com ponta mole: introduza a ponta metálica no ânus e espere, pelo menos, 3 minutos para verificar a temperatura indicada

Apesar do tabu envolvido e do desconforto, o termômetro considerado mais eficiente é o de ponta mole. Isso porque a temperatura do ânus é a mais precisa, uma vez que a pele (seja da axila ou testa) resfria rapidamente, o que pode resultar em uma menor variação de até 1º C e interferir no diagnóstico.

Tipos

Existem algumas doenças que levam o nome de "febre", como febre amarela, febre maculosa e febre reumática, por exemplo. Contudo, essas são enfermidades e não são consideradas tipos de febre quando falamos do sintoma de temperatura alta.

Basicamente, existem cinco tipos de febre hoje identificados:

Febre contínua

A febre contínua é aquela que permanece acima da temperatura corporal habitual, sem grandes oscilações.

As variações de temperatura costumam variar apenas 1 grau. Por exemplo, um paciente pode ser diagnosticado com febre contínua se sua temperatura corporal geralmente está em 38,5º C - e varia no máximo entre 37,5º e 39,5º C.

Febre irregular (séptica)

A febre irregular, conhecida ainda como febre séptica, é caracterizada por altos picos de temperatura corporal intercalados com baixas temperaturas. Essas mudanças brutas de temperatura são imprevisíveis.

Febre remitente

A febre remitente é definida por febre diária, com variação de mais de 1 grau para cima ou para baixo da temperatura constante. Não há períodos de apirexia (ou seja, cessação da febre).

Febre intermitente

A febre intermitente é diagnosticada por suas oscilações entre temperaturas altas e temperaturas normais do corpo. Costuma ser o tipo de febre mais comum.

Um quadro típico de febre intermitente ocorre quando um paciente tem febre durante a manhã e no restante do dia não apresenta altas temperaturas. Ou quando o paciente tem febre dia sim, dia não.

Febre recorrente (ondulante)

A febre recorrente é também chamada de febre ondulante. Como o nome sugere, caracteriza-se como a febre com temperatura habitual do corpo por dias ou semanas, com interrupção imprevisível de altas temperaturas. Ou seja, o período entre a temperatura habitual e a anormal é bem espaçado.

Causas

O que acontece no nosso corpo

A febre é causada por uma área no cérebro chamada hipotálamo que, ao perceber uma invasão de micro-organismos, desloca a temperatura corporal normal.

A temperatura corporal normal varia ao longo do dia - é mais baixa na parte da manhã e mais alta no final da tarde e início da noite.

A maioria das pessoas considera 37°C uma temperatura normal, mas ela pode variar um pouco a menos, ficando entre 36,6° e 37,8°C. Fatores como ciclo menstrual ou exercícios pesados podem afetar a temperatura corporal.

Crianças e adultos costumam ter a mesma temperatura corporal, mas com bebês é diferente - Foto: Shutterstock
Crianças e adultos costumam ter a mesma temperatura corporal, mas com bebês é diferente - Foto: Shutterstock

Principais causas de febre

A febre pode ser causada por diversos fatores, atuando nesta reação do cérebro. As principais causas são:

  • Vírus
  • Infecção bacteriana
  • Insolação
  • Queimadura de sol
  • Condições inflamatórias, como artrite reumatoide
  • Tumor maligno (câncer)
  • Reação a medicamentos e drogas, como antibióticos utilizados para tratar a pressão alta ou convulsão
  • Reação adversa a vacinas
  • Desidratação

Febre de origem desconhecida

Por vezes, a causa de uma febre não pode ser identificada. Se o paciente é adulto e tem uma temperatura corporal de 38,3°C ou mais durante três semanas e o médico não é capaz de encontrar a causa após extensa avaliação, o diagnóstico pode ser febre de origem desconhecida.

Nesses casos, a causa pode ser uma infecção crônica pouco comum ou algo diferente, como uma doença do tecido conjuntivo ou câncer.

Fatores de risco

Certas condições tornam as pessoas mais vulneráveis à febre:

  • Estado de saúde (sistema imunológico fragilizado)
  • Idade (bebês e idosos costumam ser mais propensos)
  • Uso de certos medicamentos e realização de procedimentos médicos
  • Exposição a infecções (em viagens ou após contato com insetos ou pessoas infectadas, por exemplo)

Sintomas

Sintomas de Febre

Em adultos

A febre acontece quando a temperatura sobe acima de sua faixa normal. O que é normal para você pode ser um pouco maior ou menor do que a temperatura média de 37°C.

Dependendo do que está causando a febre, sintomas adicionais podem incluir:

Febres altas entre 39,4°C e 41,1°C podem causar:

Em crianças e bebês

Uma criança tem febre quando a temperatura é igual ou superior a um destes níveis:

  • Temperatura anal maior que 38º C
  • Temperatura bucal maior do que 37,5º C
  • Temperatura axilar maior do que 37,3º C
  • Temperado no ouvido maior do que 38º C

Um sinal comum de febre em bebês é uma testa quente – mas isso não suficiente para diagnosticar febre. Bebês e crianças também podem sentir mais preguiça do que o normal.

Outros sintomas associados à febre em bebês e crianças incluem:

  • Falta de sono
  • Má alimentação
  • Falta de interesse em jogos
  • Letargia
  • Convulsão

Saiba mais: 7 dicas seguras para baixar a febre

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

A febre por si só não pode ser uma causa para alarme - ou um motivo para procurar ajuda médica. No entanto, existem algumas circunstâncias em que é necessário procurar um médico para bebês, crianças ou adultos: febres muito altas, crianças com tendência a convulsões, febre, ainda que não muito alta, por mais de dois dias, etc.

Verificando a temperatura

Para verificar a temperatura, você pode escolher vários tipos de termômetros, incluindo oral, retal, de ouvido (tímpano) e na testa (artéria temporal).

Você pode usar um termômetro oral para uma leitura na axila ou boca:

  • Coloque o termômetro na axila e cruze os braços ou os braços de seu filho sobre o peito
  • Espere no mínimo 3 cinco minutos
  • A temperatura será mostrada digitalmente ou por um traço colorido

Se usar um termômetro retal para crianças:

  • Coloque um pouco de vaselina sobre o termômetro
  • Deite o bebê em sua barriga
  • Insira com cuidado de 1/2 a 1 polegada no reto do bebê
  • Segure o bebê ainda por três minutos

Emergência em crianças

Uma febre inexplicável é motivo de preocupação em crianças maiores e bebês. Chame o médico se o bebê:

  • É menor de 3 meses e tem uma temperatura retal de 38°C ou superior
  • Tem idade de 3 a 6 meses, temperatura de até 38,9°C e parece extraordinariamente irritado, letárgico ou desconfortável
  • Tem idade de 6 a 24 meses (dois anos) e temperatura superior a 38,9°C que dura mais de um dia, mas não mostra outros sintomas
  • Tem idade de 6 a 24 meses (dois anos) e temperatura superior a 38,9°C acompanhada de sintomas como resfriado, tosse ou diarreia
  • É recém-nascido e tem uma temperatura mais baixa do que o habitual - inferior a 36,1°C

Crianças

Provavelmente não há motivo para alarme se a criança está com febre, mas é ativa, faz contato visual com você e responde às suas expressões faciais e sua voz. Nesses casos, o ideal é repouso e ingerir muito líquido.

Chame o médico se seu filho:

  • Está apático ou irritável
  • Vomita repetidamente
  • Tem dor de cabeça intensa ou dor de estômago
  • Tem febre depois de ter sido deixado em um carro quente
  • Tem febre que dura mais de três dias (em crianças de dois anos ou mais)
  • Não tem contato visual com você

Adultos

Chame o médico se:

  • A temperatura é de 39,4°C ou mais elevada
  • A febre persiste por mais de três dias

Além disso, procure imediatamente atendimento médico se a febre acompanhar quaisquer destes sintomas:

  • Forte dor de cabeça
  • Inchaço na garganta grave
  • Erupção cutânea incomum, especialmente se a erupção se agrava rapidamente
  • Sensibilidade incomum à luz brilhante
  • Torcicolo e dor quando você dobra a cabeça para frente
  • A confusão mental
  • Vômitos persistentes
  • Dificuldade em respirar ou dor no peito
  • Apatia extrema ou irritabilidade
  • Dor abdominal ou dor ao urinar
  • Fraqueza muscular ou alterações sensoriais
  • Quaisquer outros sinais ou sintomas inexplicáveis
PUBLICIDADE

Na consulta médica

Especialidades que podem diagnosticar uma febre são:

  • Clínico Geral
  • Pediatra

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições e medicamentos ou suplementos que tome com regularidade
  • Medicamentos utilizados recentemente

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Qual método você usou para tirar a temperatura?
  • Qual foi a temperatura registrada?
  • Você ou seu filho já tomou qualquer medicação para reduzir a febre? Quais?
  • Que outros sintomas que você ou seu filho estão enfrentando?
  • Você ou seu filho tem alguma condição crônica de saúde?
  • Quais os medicamentos que você ou seu filho toma regularmente?
  • Você ou seu filho convive próximo de alguém que está doente?
  • Você ou seu filho recentemente fizeram uma cirurgia?
  • Você ou seu filho recentemente viajaram para fora do país?
  • O que, se alguma coisa, parece melhorar os sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece piorar os sintomas?
  • O que está provavelmente causando a febre?
  • Poderia qualquer outra coisa estar causando isso?
  • Que tipos de testes são necessários?
  • Que tipo de tratamento que você recomendaria? Existem alternativas?
  • O remédio é necessário para abaixar a febre? Quais são os efeitos colaterais dos medicamentos?
  • Existem restrições que eu preciso seguir?
  • Existe uma alternativa genérica para o medicamento que você está prescrevendo?
  • Você algum material impresso que posso levar? Quais sites você recomenda?

Diagnóstico de Febre

Embora a febre seja fácil de medir, determinar a sua causa pode ser difícil. Além de um exame físico, o médico ou médica pode pedir:

  • Exames de sangue
  • Raio-X de tórax

Às vezes, você pode ter uma "febre de origem desconhecida". Em tais casos, a causa pode ser uma condição incomum ou não óbvia, tal como uma infecção crônica, doença do tecido conjuntivo, câncer ou outro problema.

Para bebês, especialmente aqueles que têm 28 dias ou menos, é possível que haja internação no hospital para descobrir as causas do sintoma.

Tratamento e Cuidados

Medicamentos para Febre

A febre pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico.

Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

Os medicamentos mais comuns no tratamento de febre são:

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

PUBLICIDADE

Tratamento de Febre

Remédios para febre

Os tratamentos variam de acordo com a causa da febre. Por exemplo, antibióticos seriam utilizados para uma infecção bacteriana, como faringite estreptocócica.

No geral, os tratamentos mais comuns para a febre incluem medicamentos como paracetamol, anti-inflamatórios não-esteroides e naproxeno.

Crianças e adolescentes não devem tomar ácido acetilsalicílico, uma vez que o consumo pode aumentar o risco de uma condição chamada síndrome de Reye.

Tratamento de bebês

Em casos de febre, os bebês, especialmente aqueles com menos de 28 dias, devem ser levados ao hospital para realizar testes e tratamento.

Em bebês tão jovens, a febre pode indicar uma infecção grave que requer medicamentos intravenosos e monitoramento 24 horas por dia.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Como baixar febre

Você pode tentar uma série de coisas para fazer você ou seu filho mais confortável durante uma febre:

1. Faça compressas frias no tronco e membros

Usar uma toalha úmida ou com uma bolsa térmica em temperatura mais fria no tronco e nos membros pode ajudar a diminuir a temperatura do corpo. Não há uma temperatura ideal, e geralmente a temperatura da água fria de uma torneira basta.

Um bom indicador é colocar a mão na água e ver se você tolera aquela temperatura - essa é a temperatura ideal para resfriar a pele sem machucá-la.

A medida só não é indicada quando o paciente se queixa de muito frio e poderia se sentir mal em contato com a umidade.

É importante lembrar também que a aplicação prolongada de uma temperatura muito baixa, em seu ponto de congelamento, pode acabar resultando em queimadura da pele e até necrose do local.

2. Fique em repouso

A febre acelera os batimentos cardíacos, por isso o repouso é indicado, evitando sobrecarregar o organismo. O repouso é importante também por que a movimentação durante um processo febril pode ser extremamente desconfortável e pouco produtiva.

Se o paciente não está no melhor de sua habilidade, pode acidentalmente sofrer uma queda ou acabar se machucando.

Por isso, evite atividades que exigem muita força durante a febre e aguarde o quadro melhorar para retomar aos poucos a sua rotina. Nos primeiros dias após a febre você cansa muito fácil, mas isto melhora.

3. Tome um banho morno

Uma boa ducha de água morna pode ajudar o paciente a recuperar a temperatura ideal. Mas por que não água fria? A temperatura muito baixa provoca uma vasoconstrição, em que o sangue se afasta da região periférica, impedindo assim a perda de água do organismo, mantendo então a temperatura mais alta.

4. Prefira tecidos de algodão

Vale um moletom ou uma camiseta de algodão. O importante é vestir peças confortáveis. O algodão costuma ventilar melhor e reduz a sensação de desconforto, principalmente durante o sono quando o paciente pode suar excessivamente.

Se você estiver usando peças sintéticas, o suor não será absorvido e sua pele pode ficar irritada, causando desconforto.

5. Mantenha-se hidratado

Tomar muita água e líquidos em geral, é essencial para baixar a temperatura do corpo e prevenir casos de desidratação. Isso porque o calor da febre faz você suar demais, havendo necessidade de repor os líquidos perdidos neste processo.

Não é necessário ingerir mais água do que o recomendado normalmente - a pessoa deve beber segundo sua sede.

No caso de crianças pequenas e bebês, líquidos devem ser ofertados com frequência. Observe se eles mantem fluxo urinário regular para certificar a hidratação.

6. Coma adequadamente

Faça uma dieta leve, de digestão simples e adequada às suas preferências. Se for um paciente adulto ou jovem, não há grandes preocupações com a quantidade de alimento que será ingerida durante a febre.

No entanto, se for uma pessoa com a saúde mais debilitada, como um idoso que tenha algum tipo de doenças, uma alimentação mais equilibrada pode ser determinante do curso da doença.

No geral, o gasto calórico aumenta durante a febre, e por isso uma dieta um pouco mais rica em calorias pode beneficiar essas pessoas com a saúde mais comprometida.

7. Atente-se ao uso de medicamentos

Para tratar da febre, é preciso entendê-la e entender a sua origem. Se a causa da febre for simples, como uma gripe, e não muito alta (até 38 graus), não há razão para tratar de forma medicamentosa.

No entanto, se ela estiver com dores pelo corpo, mal estar e outros sintomas, o uso de um antitérmico pode ajudar.

Febres acima de 38,5 ou 39 graus costumam cursar com maior desconforto e são frequentemente medicadas, mas mesmo nestas temperaturas, se o paciente não referir desconforto, uma boa opção é observar sem medicar. Uma exceção deve ser feita no caso de crianças pequenas no qual a febre deve ser tratada para evitar a convulsão febril.

Antitérmicos não são água e usá-los indiscriminadamente pode danificar seriamente a saúde de uma pessoa - por isso, antes de tomá-los, procure auxílio especializado.

Se o medicamento já foi indicado anteriormente pelo médico em outra ocasião e a febre está incomodando, o paciente pode ser medicado - desde que encaminhado ao médico assim que possível para que a causa da febre seja investigada.

Febre tem cura?

Tem cura para a febre. Embora possa ser um alerta de complicações graves, a recuperação é positiva e eficaz quando os tratamentos são feitos de forma correta, seguindo orientações médicas.

Complicações possíveis

As complicações de uma febre podem incluir:

  • Desidratação grave
  • Alucinações
  • Convulsão induzida por febre (convulsão febril), em um pequeno número de crianças de 6 meses a 5 anos

Convulsões febris

Convulsões febris e perda de consciência geralmente envolvem tremedeira de membros (pernas e braços) em ambos os lados do corpo. Apesar de alarmante para os pais, a grande maioria das convulsões febris não causam efeitos duradouros.

Se uma convulsão ocorre:

  • Coloque seu filho de lado ou de bruços estômago no chão ou solo
  • Remova todos os objetos cortantes perto de seu filho
  • Afrouxe roupas apertadas
  • Segure o seu filho para evitar lesões
  • Não coloque nada na boca de seu filho

A maioria das convulsões para por conta própria. Leve seu filho ao médico o mais breve possível após o episódio para determinar a causa da febre.

Chame a emergência se uma convulsão durar mais do que 10 minutos.

Prevenção

Prevenção

É possível evitar febres reduzindo a exposição a doenças infecciosas. Aqui estão algumas dicas que podem ajudar:

  • Lave as mãos com frequência: essa é uma prática muito importante, especialmente antes de comer, após usar o banheiro, depois de passar um tempo em locais cheios ou ficar perto de alguém que está doente, depois de acariciar animais e durante viagens em transporte público
  • Tente evitar tocar o nariz, boca ou olhos: essas são as principais formas pelas quais vírus e bactérias podem entrar no corpo e causar infecção
  • Cubra sua boca quando tossir ou seu nariz quando espirrar: sempre que possível, afaste-se dos outros quando tossir ou espirrar para evitar a passagem de germes para eles
  • Evite compartilhar copos, garrafas de água e utensílios: isso aumenta as chances de contrair vírus e bactérias

Fontes e referências