Otite: sintomas, tratamentos e causas

REVISADO POR
Dr. Paulo Saraceni Neto
Otorrinolaringologia - CRM 135702/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Otite?

Sinônimos: infecção de ouvido

Otite é uma infeção do ouvido médio. O ouvido médio é um pequeno espaço cheio de ar atrás do tímpano. As infecções de ouvido costumam ser dolorosas devido à inflamação e acúmulo de secreção no ouvido médio.

PUBLICIDADE

As crianças são mais propensas do que os adultos a ter otites médias. Otite em bebês e casos graves no geral podem necessitar de medicamentos antibióticos. Complicações relacionadas à otite, como fluidos persistentes no ouvido médio, infecções persistentes ou infecções repetidas, podem causar problemas de audição e outras complicações graves.

Tipos

Os tipos de otite variam de acordo com a parte do ouvido afetada: externa, média e interna.

Otite externa: é uma infecção que vai do canal do ouvido até a membrana do tímpano (responsável por localizar a fonte sonora e amplificá-la até a chegada ao tímpano). As otites externas geralmente ocorrem por traumas causados pelo uso abusivo de cotonetes, por exemplo, e outros objetos para coçar o ouvido - além do contato com água contaminada em mergulhos de piscina ou mar.

Otite média: o ouvido médio é uma cavidade preenchida por ar que fica atrás do tímpano e que se comunica com o nariz por meio de um canal chamado tuba auditiva. Quadros de acúmulo de secreção no nariz, como no caso de resfriados e sinusites, podem fazer a secreção subir ao ouvido médio por meio da tuba auditiva.

Otite interna: o ouvido interno é a porção mais complexa deste órgão, onde ficam a cóclea e o labirinto, responsáveis pela audição e equilíbrio, em contato muito próximo com estruturas nobres como o nervo auditivo e o nervo vestibular. Por isso, infecções nessa região são graves e costumam causar queda na audição e tontura intensa. Felizmente são pouco comuns, e precisam de cuidados mais intensivos, geralmente com internação hospitalar para melhor controle.

Causas

Otites são causadas por bactérias e vírus. Um inchaço causado por um resfriado ou alergia pode bloquear as tubas auditivas – dois canais que ligam as orelhas médias à faringe. Dessa forma, a ventilação do ouvido médio fica comprometida. Isso propicia a invasão deste espaço por vírus ou bactérias. O edema (inchaço) das tubas impedem que este fluido seja drenado, tornando aquele ambiente perfeito para as bactérias ou vírus proliferarem, formando a otite.

Outra forma de contrair otite é pela inflamação da adenóide, um órgão linfático (do sistema imune) localizado na parte de trás do nariz. Esta função pode torná-los particularmente vulneráveis à infecção e inflamação. Como a adenoide está perto da abertura da tuba auditiva, uma inflamação ou aumento dessas estruturas pode bloquear as tubas, contribuindo assim para a otite.

  • Infecções bacterianas são as causas mais recorrentes de otite. Os tipos mais comuns são o Streptococcus pneumoniae (pneumococos), Haemophilus influenzae e Moraxella catarrhalis
  • Infecções virais são menos comuns, mas podem causar otite. O vírus sincicial respiratório (RSV) e o vírus da gripe (influenza) são os tipos mais frequentemente encontrados.

Condições que podem estar relacionadas à otite incluem:

  • Otite com efusão: inflamação e acúmulo de líquido (derrame) no ouvido médio sem infecção bacteriana ou viral. Isso pode ocorrer porque o acúmulo de líquido persiste após uma otite que foi tratada. Também pode ocorrer devido a alguma disfunção ou bloqueio não infeccioso das tubas auditivas
  • Otite média crônica supurativa: uma infecção do ouvido persistente que resulta em ruptura ou perfuração do tímpano.

Quanto tempo dura a otite?

De acordo com a otorrinolaringologista Samanta Dall'Agnese, a otite externa em geral se inicia com leve desconforto e coceira no canal auditivo e em poucos dias evolui para dor e inchaço local. O tratamento geralmente é feito com gotas de antibióticos e cuidados locais, e dura cerca de sete dias.

A otite média costuma iniciar com um quadro viral, com gripes e resfriados, e a secreção nasal sobe ao ouvido médio em cerca de cinco a sete dias. “A pessoa passa a apresentar sensação de ouvido tampado e dor, e pode também ter queixa de nariz entupido e secreção nasal”, explica. O tratamento é feito com antibióticos e anti-inflamatórios por via oral, em média por 10 dias.

Já no caso da otite interna (ou labirintite), que é um caso mais grave, o quadro do paciente pode evoluir para meningite e encefalite, por isso o tratamento é hospitalar. “Não falamos muito em tempo médio nesses casos, porque depende muito da evolução com o tratamento”, explica.

Fatores de risco

Alguns fatores que aumentam o risco de otite não podem ser prevenidos. Estes incluem:

  • Idade, sendo que crianças de até três anos estão mais suscetíveis
  • Doenças congênitas, como fenda palatina ou síndrome de Down
  • Sistema imunológico enfraquecido
  • Histórico familiar de otite
  • Alergias respiratórias
  • Baixa qualidade do ar
  • Estações do ano, sendo que o tempo mais frio aumenta o risco.

Outros fatores que aumentam o risco de infecção de ouvido incluem:

  • Resfriados e infecções das vias respiratórias superiores frequentes
  • Exposição à fumaça de cigarro
  • Falta de amamentação
  • Crianças que ficam em creches e centros de cuidados infantis, uma vez que convivem com muitas outras crianças
  • Uso de chupeta.

O risco de otite crônica ou recorrente pode ser maior se há:

  • Infecção de ouvido em uma idade precoce (antes dos seis meses)
  • Acúmulo persistente de fluido no ouvido
  • Infecções anteriores.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Otite

Os sintomas de otite muitas vezes começam dois a sete dias após o início de uma infecção respiratória. Os sintomas de uma infecção no ouvido podem incluir:

  • Dor de ouvido (leve a grave). Os bebês muitas vezes puxam seus ouvidos quando sente dor
  • Febre
  • Líquido espesso e amarelado ou sanguinolento saindo do ouvido. Isso significa que o tímpano provavelmente estourou (rompido)
  • Perda de apetite
  • Vômitos
  • Dor de cabeça
  • Comportamento mal-humorado
  • Problemas para dormir.

Os sintomas de acúmulo de líquido podem incluir:

  • Zumbido ou sensação de pressão no ouvido. Crianças muitas vezes têm dificuldade em descrever esse sentimento, e podem esfregar as orelhas na tentativa de aliviar a pressão
  • Problemas de audição. Crianças que têm problemas de audição podem parecer sonhadoras ou desatentas, mal-humoradas ou irritadas
  • Problemas de equilíbrio
  • Tonturas.

Algumas pessoas não têm nenhum sintoma.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Sinais e sintomas de uma infecção no ouvido podem indicar uma série de condições. É importante obter um diagnóstico preciso e tratamento imediato. Marque uma consulta médica se:

  • Sintomas duram mais de um dia
  • A dor de ouvido é grave
  • O bebê ou criança está insone ou irritado após uma infecção respiratória superior, resfriado e outros
  • É possível observar uma descarga de líquido, pus ou secreção sanguinolenta do ouvido.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar e acompanhar otite são:

  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Otorrinolaringologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são os sinais e quando eles começaram?
  • A dor de ouvido é leve, moderada ou grave?
  • Você já observou possíveis sinais de dor em seu bebê ou criança pequena, como puxões de orelha, dificuldade em dormir ou irritabilidade incomum?
  • O seu filho teve febre?
  • Houve algum tipo de corrimento saindo da orelha? Ele é claro, turvo ou com sangue?
  • Você já observou alguma deficiência auditiva?
  • O seu filho recentemente teve um resfriado, gripe ou outros sintomas respiratórios?
  • O seu filho tem alergias sazonais?
  • O seu filho teve uma infecção no ouvido no passado? Quando?
  • Seu filho é alérgico a algum medicamento, como a penicilina?

Diagnóstico de Otite

Otites geralmente são diagnosticadas através do histórico de saúde, um exame físico e um exame auditivo. Por exemplo, o médico pode ver se o tímpano move-se livremente quando o otoscópio pneumático empurra o ar para dentro do ouvido.

Outros testes podem incluir:

  • Timpanometria
  • Testes de audição
  • Timpanocentese
  • Exames de sangue, que são feitos se houver sinais de problemas imunológicos.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Otite

O primeiro tratamento de uma infecção do ouvido médio se concentra em aliviar a dor. Se a condição melhora no primeiro par de dias, tratar os sintomas em casa pode ser tudo o que é necessário. Caso contrário, pode ser necessário procurar ajuda médica, que poderá indicar algum desses tratamentos:

Antibióticos

Se a infecção for bacteriana, podem ser receitados antibióticos. O uso desses medicamentos vai depender da idade do seu filho é quão grave é a infecção. Se seu filho tem implantes cocleares, o médico ou médica provavelmente irá prescrever antibióticos, uma vez que complicações graves de otite são mais comuns em crianças que têm implantes cocleares do que em crianças que não têm implantes cocleares.

Se uma criança tem infecções de ouvido de repetição (três ou mais infecções de ouvido em um período de seis meses ou quatro em um ano), você pode querer considerar o tratamento para prevenir futuras infecções.

Uma opção que tem sido muito utilizada no passado é o tratamento com antibióticos por via oral a longo prazo. Há um debate dentro da comunidade médica sobre o uso de antibióticos em uma base de longo prazo para prevenir infecções de ouvido. Muitos médicos não querem receitar antibióticos a longo prazo, porque eles não tem certeza de que eles realmente funcionam. Além disso, quando os antibióticos são utilizados, muitas vezes, as bactérias podem tornar-se resistentes aos antibióticos.

Miringotomia

Se as otites são recorrentes (três episódios em seis meses ou quatro episódios em um ano) ou é uma otite média com efusão, pode ser recomendada a drenagem de líquido do ouvido médio.

Nesses casos, o médico ou médica pode indicar a miringotomia, ou timpanotomia, que consiste em fazer um pequeno corte na membrana do tímpano, removendo o líquido do ouvido. Um pequeno tubo de plástico ou de metal é colocado na abertura, deixando o ar entrar no ouvido médio e evitando o acúmulo de líquido.

Na maioria dos casos, o tubo será removido logo após a drenagem, e o corte feito no tímpano se cura espontaneamente. Em outras situações, o tubo permanecerá por um período, em média seis meses, de forma a drenar todo o líquido e tentar evitar novas infecções. Nesse último, o tubo é expelido do ouvido naturalmente e o tímpano se fecha.

Estes procedimentos podem ser realizados sob restrição adequada da criança pequena sem sedação ou anestesia geral, podendo-se administrar anestesia local. Entretanto, mesmo em crianças menores e também nas crianças maiores, tem-se optado por sedação ou anestesia geral.

Em certos pacientes, a remoção do tecido adenoideano poderá ser realizada juntamente com a miringotomia. Na dúvida, converse com seu médico ou médica.

Adenoidectomia

A remoção da adenóide pode ajudar algumas crianças que têm otite de repetição ou fluido atrás do tímpano. Crianças com menos de quatro geralmente não têm seus adenoides retirado a menos que tenham obstrução nasal severa.

A remoção de adenoide só é recomendada depois que a miringotomia e os antibióticos falharam. A adenoidectomia pode melhorar a passagem do ar e a drenagem de secreção nas vias aéreas. Isto pode reduzir a possibilidade de acúmulo de fluidos no ouvido médio. Quando usado junto com outros tratamentos, a remoção de adenóides pode ajudar algumas crianças que têm infecções de ouvido de repetição, mas raramente o procedimento é feito sozinho

Medicamentos para Otite

Os medicamentos mais usados para o tratamento de otite são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Controle a dor

A otite pode vir acompanhada de uma incômoda dor de ouvido. Nesse caso, você pode usar esses tratamentos:

  • Compressa quente, como uma toalha molhada, sobre a orelha afetada
  • Medicação para dor, conforme as instruções no rótulo. Tenha cuidado ao dar ácido acetilsalicílico para crianças ou adolescentes, uma vez que ele tem sido associado à síndrome de Reye
  • Analgésicos auriculares. No entanto, não use produtos a base de benzocaína em crianças menores de dois anos de idade sem a supervisão de um profissional de saúde
  • Incentive o descanso. Isso vai ajudar o corpo a combater a infecção. Para crianças, é importante priorizar atividades tranquilas e lúdicas.

Cuidados com tubos ou tímpanos rompidos

Somente um médico ou médica pode dizer quando a perfuração no tímpano curou e quando está tudo bem para voltar às atividades regulares. Dessa forma, questione durante a consulta sobre o tempo médio para cura total da otite e quais atividade seu filho poderá ou não fazer. Tudo dependerá da gravidade da otite e condições do paciente.

Complicações possíveis

A maioria das otites não causa complicações. Infecções frequentes ou persistentes e acúmulo de fluido persistente, no entanto, podem resultar em algumas complicações graves:

  • Deficiência auditiva
  • Atrasos no desenvolvimento infantil
  • A bactéria ou vírus que não responde ao tratamento pode se espalhar para os tecidos circundantes, como a saliência óssea atrás da orelha (mastoide) e outros tecidos do crânio, incluindo o cérebro. No entanto, essas infecções são bem raras
  • Tímpano perfurado, que frequentemente cura por si só, em algumas semanas. Em casos raros pode precisar de procedimento cirúrgico.

Grupo de risco

As crianças são particularmente suscetíveis à otite média por vários motivos. “Um deles é a característica anatômica da tuba auditiva, que é mais horizontal em relação à do adulto, e facilita a migração de germes. Mais uma questão anatômica na infância é a presença da adenóide, que quando aumentada, pode bloquear parcialmente a tuba auditiva, facilitando o acúmulo de secreções. Outro fator é a grande frequência de resfriados e quadros alérgicos nas crianças”, diz a otorrinolaringologista Samanta Dall'Agnese.

Segundo ela, nadadores também fazem parte do grupo de risco pelo contato constante com água, podendo ser facilitada pelo uso de tampões.

Outro grupo de risco para infecções de ouvido são os diabéticos. “O diabetes mal controlado pode levar a queda na imunidade e facilitar um quadro grave de otite externa, causado por um tipo específico de bactéria chamada Pseudomonas, que pode ser agressiva e migrar para as porções mais internas do ouvido”, esclarece.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

As dicas a seguir podem reduzir o risco de otite:

  • Previna resfriados e outras doenças
  • Evite o fumo passivo
  • Amamente o seu bebê
  • Se o bebê usa mamadeira, mantenha o bebê em posição vertical, uma vez que tomar mamadeira deitado pode aumentar o risco de infecção
  • Converse com seu médico ou médica sobre a vacinação apropriada para o seu filho
  • Lave as mãos frequentemente
  • Evite dar chupeta ao seu bebê.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências