Toxoplasmose: sintomas, tratamentos e causas

REVISADO POR
Dr. Celso Granato
Infectologia - CRM 34307/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Toxoplasmose?

Toxoplasmose, ou como é popularmente chamada “doença do gato”, é uma doença infecciosa, congênita ou adquirida, causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii, encontrado nas fezes dos gatos e outros felinos. Contudo, homens e outros animais também podem hospedar o parasita.

PUBLICIDADE

A toxoplasmose pode causar sintomas semelhantes aos da gripe em algumas pessoas, mas, na maioria das vezes, as pessoas afetadas nunca desenvolve sinais e sintomas. Para crianças nascidas de mães infectadas e de pessoas com sistema imunológico enfraquecido, a toxoplasmose pode causar complicações sérias. (1,3,6)

Transmissão

O agente causador é o protozoário Toxoplasma gondii. Um protozoário coccídio intracelular, pertencente à família Sarcocystidae.

O homem adquire a infecção por três vias:

  • Ingestão de oocistos provenientes do solo, areia, latas de lixo contaminados com fezes de gatos infectados
  • Ingestão de carne crua e mal cozida infectada com cistos, especialmente carne de porco e carneiro
  • Por intermédio de infecção transplacentária, ocorrendo em 40% dos fetos de mães que adquiriram a infecção durante a gravidez.

O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, ocorre de 10 a 23 dias, quando a fonte for a ingestão de carne; de 5 a 20 dias, após ingestão de oocistos de fezes de gatos.

Não se transmite diretamente de uma pessoa a outra, com exceção das infecções intrauterinas. Os oocistos expulsos por felídeos esporulam e se tornam infectantes depois de 1 a 5 dias, podendo conservar essa condição por 1 ano. (1,5)

Ciclo de vida do parasita

Os felinos são os únicos animais em que o protozoário pode completar o seu ciclo, e se tornar hospedeiro definitivo.

O oocisto é formado no tubo digestivo do hospedeiro e eliminado. Após a eliminação se dá a esporulação que é caracterizada pelo aumento de volume do parasito e pela produção de esporozoítos no seu interior. Esse processo estará completo quando cada esporoblasto formar esporozoítos, que é o que caracteriza o oocisto infectante. O tempo de esporulação depende das condições ambientais no solo onde está o oocisto. (1)

Ajude seu gato a se manter saudável

Embora os gatos sejam transmissores da toxoplasmose, com simples cuidados é possível manter ele saudável e evitar a contaminação da doença. Portanto, mantenha o seu gato dentro de casa e alimente-o com comida de gato seca ou enlatada, não carne crua. Os gatos podem ser infectados depois de comer presas infectadas ou carne mal cozida que contém o parasita.

Além disso, assegure-se de que a caixa de areia do gato seja trocada diariamente. O parasita toxoplasma não se torna infeccioso entre 1 a 5 dias depois de ser eliminado nas fezes de um gato.

Atenção: Matar os gatos não é a solução para evitar que a toxoplasmose deixe de ser transmitida, por isso a melhor forma de prevenir a doença é cuidando bem dos animais de estimação

Tipos

A toxoplasmose pode ser divida em seis tipos: (1)

Toxoplasmose febril aguda

A toxoplasmose aguda apresenta-se na forma de febre, exantema generalizado, acometimento pulmonar, miocárdico, hepático, miosite. Os sintomas mais comuns da forma aguda são febre, exantema generalizado, mialgia, artralgia, alteração da função hepática, aparecimento de adenopatia cervical e, às vezes, diarreia.

Linfadenite toxoplásmica

A linfadenite toxoplásmica caracteriza-se por linfadenopatia (condição em que os nódulos linfáticos ficam com tamanho, consistência ou número anormais) localizada geralmente na cervical e, raras vezes, generalizada.

Toxoplasmose ocular

A toxoplasmose ocular ocorre na forma de coriorretinite (um processo inflamatório que envolve o trato uveal do olho), aguda ou crônica.

Toxoplasmose neonatal

A toxoplasmose neonatal acontece quando a infecção é intra-uterina, variando de assintomática a letal, dependente da idade fetal

Toxoplasmose no paciente imunodeprimido

A toxoplasmose no paciente imunodeprimido ocorre do recrudescimento da toxoplasmose por imunossupressão associada à aids, doença linfoproliferativa, uso de imunossupressor

Causas

Toxoplasmose é causada por um cisto do tipo Toxoplasma gondii, um dos parasitas mais comuns do mundo. Ela pode ser adquirida por meio da ingestão de alimentos contaminados – em especial carne crua ou mal passada, principalmente de porco e de carneiro - e vegetais que abriguem os cistos do Toxoplasma após terem tido contato com as fezes de animais hospedeiros.

Esses cistos podem infectar quase todas as partes do organismo humano, incluindo cérebro, músculos e até mesmo o coração. No entanto, se a pessoa for saudável de um modo geral, o sistema imunológico a defenderá bem contra as ações do parasita, mantendo-o inativo dentro do organismo e impedindo, assim, que a pessoa volte a ser infectada novamente por ele.

Mas se a resistência não for tão boa, principalmente se o paciente tiver alguma doença que comprometa o sistema imunológico, a infecção pode ser reativada e causar sérias complicações.

A toxoplasmose não é contagiosa entre humanos – ou seja, ela não pode ser transmitida de pessoa para pessoa. No entanto, as fezes de gatos e outros felinos e a ingestão de alimentos contaminados não são a única porta de entrada para o parasita. Humanos também podem adquirir a doença em outras situações, como:

  • Usando facas e outros utensílios de cozinha contaminados
  • Comer frutas e vegetais mal lavados
  • Transfusões de sangue ou transplantes de órgãos

A doença também pode ser congênita. Neste caso, ela é transmitida da mãe infectada para o bebê por meio da placenta. Se a mulher foi diagnosticada com a doença um pouco antes ou durante a gestação, as chances de ela passar a inflamação para o filho são de 30%, em média.

Fatores de risco

Qualquer pessoa pode ser infectada pelo parasita da toxoplasmose, mas alguns fatores de risco aumentam os riscos de contaminação, confira:

  • Aids/HIV: com o sistema imunológico debilitado, a pessoa tornase mais vulnerável à ação do protozoário
  • Quimioterapia: estar sob tratamento de quimioterapia também afeta a resistência do organismo
  • Medicamentos: alguns deles também podem causar prejuízos ao sistema imunológico
  • Gravidez: se a mulher tiver sido diagnosticada com toxoplasmose, um tratamento específico pode reduzir as chances do bebê nascer com a doença

Especialista responde: que cuidados uma mulher grávida que convive com gatos deve tomar?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Sintomas

Sintomas de Toxoplasmose

Geralmente, a toxoplasmose é uma doença que passa despercebida. Em alguns casos, porém, em pessoas consideradas saudáveis, podem aparecer sintomas parecidos com os da gripe, como: (1,4)

  • Dor de cabeça
  • Coriza
  • Dor no corpo
  • Febre
  • Fadiga
  • Dor de garganta.

Sintomas em pessoas com sistema imunológico debilitado

Se você tem HIV/AIDS, está recebendo quimioterapia ou teve recentemente um transplante de órgão, pode desenvolver sinais e sintomas mais graves de infecção, incluindo:

  • Dor de cabeça
  • Confusão
  • Coordenação deficiente
  • Convulsões
  • Problemas pulmonares que podem se assemelhar à tuberculose ou pneumonia por Pneumocystis jiroveci, uma infecção oportunista comum que ocorre em pessoas com AIDS
  • Visão turva causada por inflamação grave da sua retina (toxoplasmose ocular)

Sintomas da toxoplasmose em bebês

Se a mulher for infectada antes ou durante a gravidez, pode transmitir a infecção para o seu bebê (toxoplasmose congênita), mesmo que não tenha sinais e sintomas.

O bebê corre o maior risco de contrair toxoplasmose se a mulher for infectada no terceiro trimestre e menos em risco se for infectada durante o primeiro trimestre. Por outro lado, quanto mais cedo na sua gravidez a infecção ocorrer, mais sério será o resultado para o seu bebê.

Muitas infecções precoces terminam em natimortos ou abortos espontâneos. Os bebês que sobrevivem podem nascer com problemas sérios, como:

  • Convulsões
  • Fígado e baço aumentados
  • Amarelecimento da pele e do branco dos olhos (icterícia)
  • Infecções oculares graves.

Somente uma pequena parte dos bebês que nascem com toxoplasmose demonstram sinais da doença nos primeiros dias de vida. Geralmente os sintomas só aparecem na adolescência.

Buscando ajuda médica

Recomenda-se que pacientes com problemas de imunidade baixa, em especial os portadores do vírus HIV, mulheres grávidas e as que planejam uma gravidez procure um médico para realizar os exames necessários e saber se têm toxoplasmose ou não.

Da mesma forma, se perceber sintomas como visão turva, confusão e perda da coordenação, talvez sejam sinais de toxoplasmose severa. A ajuda médica, para esses casos, é imprescindível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a toxoplasmose são: (4)

  • Clínico geral
  • Infectologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando seus sintomas começaram?
  • Quão severos são seus sintomas?
  • Você recentemente consumiu carne crua ou mal passada?
  • Você possui ou cuida de um gato?
  • Quem limpa a caixa de areia?
  • Você usa luvas ao jardinar ou trabalhar com o solo?
  • Você tem condições ou toma medicamentos que afetam seu sistema imunológico?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para toxoplasmose, algumas perguntas básicas incluem:

  • Quais testes eu preciso fazer?
  • Quais tratamentos estão disponíveis e quais são recomendados?
  • Quais efeitos colaterais posso esperar do tratamento?
  • Estou grávida. Que efeito isso terá no meu bebê?
  • Eu tenho outros problemas de saúde. Como posso gerenciá-los juntos?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Toxoplasmose

Os exames para diagnosticar toxoplasmose são importantes porque a doença passa frequentemente desapercebida e, quando surgem sintomas, eles são muito parecidos com os da gripe e resfriado. Para diagnosticar a toxoplasmose é necessário realizar um exame de sangue, onde será possível verificar se há os anticorpos combatentes típicos da toxoplasmose.

Em todo caso, um resultado negativo pode significar que você nunca foi infectado com toxoplasmose e que, portanto, não está imune à doença. Se você estiver dentro do grupo de risco, o exame é necessário para saber quais cuidados tomar para não ser contaminado no futuro. (1,6)

Diagnóstico da toxoplasmose em gestantes

Na gravidez, o médico solicitará diversos exames de sangue para testar a resistência dos anticorpos. No entanto, quando os exames são feitos logo após a contaminação, os resultados podem dar negativos, já que o corpo ainda não produziu anticorpos para combater a presença do parasita. Por isso, o médico poderá pedir que esses exames sejam feitos dentro de algumas semanas após a consulta. Por conta da incidência da doença ter diminuído nas últimas décadas, os riscos de uma mulher contrair a doença pela primeira vez na vida (primeiro contato com T gondii) durante uma gestação – o que envolve problemas mais graves para os bebês – aumentaram. Sendo assim, os cuidados devem ser reforçados durante a gestação, para evitar que o contingente de gestantes que não contraíram a doença anteriormente (ou seja, não estão imunes) venha a contrair a doença durante a gravidez.

Diagnóstico da toxoplasmose em bebês

Se você está grávida e foi infectada por toxoplasmose, o próximo passo é determinar se seu bebê também está infectado. Testes que seu médico pode recomendar incluem:

  • Amniocentese: Neste procedimento, que pode ser feito com segurança após 15 semanas de gravidez, o médico usa uma agulha fina para remover uma pequena quantidade de líquido do saco cheio de líquido que envolve o feto (saco amniótico). Testes são então realizados no fluido para verificar se há evidência de toxoplasmose. A amniocentese acarreta um pequeno risco de aborto espontâneo e complicações menores, como cólicas, vazamento de líquidos ou irritação onde a agulha foi inserida
  • Ecografia: Este teste usa ondas sonoras para produzir imagens do seu bebê no útero. Um ultra-som detalhado não pode diagnosticar a toxoplasmose. Pode, no entanto, mostrar se o seu bebê tem certos sinais, como o acúmulo de líquido no cérebro (hidrocefalia). No entanto, um ultra-som negativo não exclui a possibilidade de infecção. Por essa razão, seu recém-nascido precisará de um exame e exames de sangue durante o primeiro ano de vida.

Teste em casos graves

Se você desenvolveu uma doença com risco de vida, como encefalite, você pode precisar de um ou mais exames de imagem para verificar se há lesões ou cistos no cérebro. Esses incluem:

  • Ressonância magnética: Este teste usa um campo magnético e ondas de rádio (eletromagnéticas) para criar imagens transversais de sua cabeça e cérebro. Durante o procedimento, você se deita dentro de uma máquina grande, em forma de anel, que contém um imã cercado por bobinas que enviam e recebem ondas de rádio. Em resposta às ondas de rádio, seu corpo produz sinais fracos que são captados pelas bobinas e processados ??em imagens por um computador. A ressonância magnética é não invasiva e apresenta riscos mínimos para a sua saúde
  • Biópsia cerebral: Em casos raros, especialmente se você não responder ao tratamento, um neurocirurgião pode levar uma pequena amostra de tecido cerebral. A amostra é então analisada em um laboratório para verificar se há cistos de toxoplasmose.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Toxoplasmose

A necessidade e o tempo de tratamento serão determinados pelas manifestações, locais de acometimento e principalmente estado imunológico da pessoa que está doente. São três as situações: (5,6)

  • Imunocompetentes com infecção aguda: somente comprometimento ganglionar, em geral não requer tratamento
  • infecções adquiridas por transfusão com sangue contaminado ou acidentes com materiais contaminados, em geral são quadros severos e devem ser tratados
  • infecção da retina (corioretinite), devem ser tratados
  • Infecções agudas em gestantes: devem ser tratadas pois há comprovação de que assim diminui a chance de contaminação fetal
  • com comprovação de contaminação fetal: necessita tratamento e o regime de tratamento pode ser danoso ao feto, por isso especial vigilância deve ser mantida neste sentido
  • Infecções em imunocomprometidos: estas pessoas sempre devem ser tratadas e alguns grupos, como os contaminados pelo vírus HIV-1, devem permanecer tomando uma dose um pouco menor da medicação que usaram para tratar a doença por tempo indeterminado. Discute-se, neste último caso a possibilidade de interromper esta manutenção do tratamento naqueles que conseguem recuperação imunológica com os chamados coquetéis contra a Aids.

Medicamentos para Toxoplasmose

Para o caso de toxoplasmose, os seguintes medicamentos podem ser indicados pelo médico:

  • Pirimetamina
  • Sulfadiazina
  • Clindamicina
  • Ácido folínico
  • Espiramicina.

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Convivendo (prognóstico)

Toxoplasmose tem cura?

A toxoplasmose possui cura quando o tratamento é feito da forma correta. No entanto, algumas pessoas que foram tratadas para doença podem obtê-la novamente. Portanto, é essencial incluir na rotina maneiras de prevenir a toxoplasmose. (1)

Complicações possíveis

Se você tem um sistema imunológico normal, provavelmente não terá complicações da toxoplasmose, embora pessoas saudáveis ??às vezes desenvolvam infecções oculares. Contudo, quando a toxoplasmose não é tratada podem levar à cegueira.

Mas se o seu sistema imunológico está enfraquecido, especialmente como resultado do HIV / AIDS, a toxoplasmose pode levar a convulsões e doenças potencialmente fatais, como a encefalite - uma infecção cerebral grave.

Em pessoas com AIDS, a encefalite não tratada da toxoplasmose é fatal. A recaída é uma preocupação constante para pessoas com toxoplasmose, que também têm um sistema imunológico enfraquecido.

Crianças com toxoplasmose congênita podem desenvolver complicações incapacitantes, incluindo perda auditiva, incapacidade mental e cegueira. (1,5)

Convivendo/ Prognóstico

Uma vez confirmado o diagnóstico de toxoplasmose, você e seu médico pode discutir se o tratamento é necessário. Em uma pessoa saudável que não está grávida, o tratamento geralmente não é necessário. Se os sintomas ocorrem, eles geralmente desaparecem dentro de algumas semanas a meses. Para mulheres grávidas ou pessoas que têm sistema imunológico enfraquecido, medicamentos estão disponíveis para tratar a toxoplasmose. (6)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prevenção

Prevenção

Certos fatores podem ajudar a prevenir a toxoplasmose: (4)

  • Use luvas quando você jardim ou lidar com o solo: Use luvas sempre que trabalhar ao ar livre e lave bem as mãos com sabão e água
  • Não coma carne crua ou mal passada: A carne, especialmente o cordeiro, a carne de porco e a carne de vaca, podem abrigar organismos do toxoplasma. Não prove carne antes de estar totalmente cozido. Evite carne crua curada
  • Lave bem os utensílios de cozinha: Depois de preparar a carne crua, lave tábuas de corte, facas e outros utensílios em água quente e sabão para evitar a contaminação cruzada de outros alimentos. Lave as mãos depois de manusear carne crua
  • Lave todas as frutas e legumes: Esfregue frutas e vegetais frescos, especialmente se você planeja comê-los crus. Remova as cascas quando possível, mas somente após a lavagem
  • Não beba leite não pasteurizado: Leite não pasteurizado e outros produtos lácteos podem conter parasitas do toxoplasma
  • Cubra as caixas de areia das crianças: Se você tiver uma caixa de areia, cubra-a quando seus filhos não estiverem jogando nela para impedir que os gatos a usem como uma caixa de areia.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Fontes e referências

  • (1) Eliane Tiemi, infectologista da Rede de Hospitais são Camilo de São Paulo
  • (2) Organização Mundial da Saúde (OMS)
  • (3) Ministério da Saúde
  • (4) Clínica Mayo
  • (5) Centers for Disease Control and Prevention (CDC)
  • (6) Sociedade Brasileira de Infectologia