Proteína C-reativa: o que é e como entender o resultado do exame

O exame mede a dosagem de proteína C-reativa (PCR), que pode indicar processos inflamatórios e infecciosos

O que é?

A proteína C-reativa, também conhecida como PCR, é uma proteína produzida pelo fígado, cuja concentração sanguínea se eleva radicalmente quando há indicativo de processos inflamatórios ou infecciosos.

PUBLICIDADE

O nível da proteína é medido através de um exame de sangue comum, com o objetivo de avaliar a possibilidade de uma infecção, inflamação, risco de doenças cardiovasculares, neoplasias, doenças reumáticas, traumatismos e outras condições sérias.

Embora o exame não indique onde há uma inflamação ou infecção, o aumento nos seus valores são preocupantes e precisam ser investigados. Além disso, quando o corpo está lidando contra um processo inflamatório, o exame de sangue também pode indicar um aumento de leucócitos, que são as células de defesa do corpo.


O que é o exame de PCR ultrassensível?
Quando o paciente já tiver histórico familiar ou precisar avaliar o risco de ter doenças cardiovasculares, como angina, infarto e AVC, o médico poderá indicar um PCR ultrassensível (PCR-us).

"O método mensura a proteína em quantidades muito pequenas no sangue, proporcionando um diagnóstico mais precoce de processos infecciosos ou inflamatórios", diz Claudio Gonsalez, infectologista do Hospital Santa Paula.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Este teste é muito usado para avaliar o risco da pessoa desenvolver doença arterial coronariana, uma condição na qual as artérias do coração são estreitadas. A doença arterial coronariana pode levar a um ataque cardíaco.

A American Heart Association não recomenda o teste de PCR-us para todos. Em vez disso, o teste é mais útil para pessoas que têm 5 a 10% de chance de ter um ataque cardíaco nos próximos 10 anos. Esse nível de risco intermediário é determinado pela avaliação de risco global, que é baseada em escolhas de estilo de vida, histórico familiar e estado de saúde atual.

O teste também ajuda a determinar o risco de um segundo ataque cardíaco, já que as pessoas com alto nível de PCR-us que tiveram um ataque cardíaco são mais propensas a ter outro evento do que aquelas com um nível normal.

Para que serve o exame de proteína C-reativa?

Como abordado anteriormente, o PCR é indicado para investigação de doenças infecciosas e inflamatórias tanto para diagnóstico como para acompanhamento evolutivo das enfermidades.

O PCR pode ajudar no diagnóstico das seguintes condições:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

É importante alertar que somente o exame de PCR não é capaz de diagnosticar onde a inflamação está ocorrendo; por isso é preciso que testes complementares sejam feitos e que o médico e paciente estejam atentos a outros fatores de risco que contribuem para essas doenças.

Contraindicações

Segundo o cardiologista Ibraim Masciarelli, não existem contraindicações ao exame PCR, uma vez que para realização do exame é necessária uma coleta simples de sangue.

Apesar de não ser frequente, o cardiologista revela que as mulheres grávidas podem fazer o PCR.

Preparo para o exame

Não há preparações para o teste PCR. No entanto, se o sangue também estiver sendo coletado para outros testes, talvez seja necessário jejuar ou seguir outras instruções. Por isso, pergunte ao médico as orientações para os exames a serem realizados.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Alguns medicamentos podem afetar o nível de PCR, então antes do teste é preciso alertar o médico sobre os medicamentos ingeridos.

Além disso, Masciarelli afirma que é possível ter alterações no resultado se a pessoa fez atividades físicas muito intensas e de choque, como boxe ou karatê. Desta forma, é indicado evitar esses esportes antes da realização do exame de PCR.

Como é feito

O PCR é realizado por meio de uma amostra simples de sangue. Antes da inserção da agulha, o profissional coloca um elástico ao redor do braço para que as veias se encham de sangue. O local da punção é limpo com antisséptico.

Depois que a agulha é inserida, uma pequena quantidade de sangue é coletada em um frasco ou seringa. O elástico é então removido para restaurar a circulação e o sangue continua a fluir para o frasco. Uma vez que sangue suficiente é coletado, a agulha é removida e o local da punção é coberto com um band-aid.

Este procedimento é relativamente indolor e geralmente leva apenas alguns minutos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Recomendações pós-exame

Após o exame, você estará apto a dirigir para casa e realizar suas atividades normalmente. Os resultados podem levar alguns dias e você deve retornar ao médico para entender o que eles significam.

Periodicidade do exame

A periodicidade do exame irá depender de cada caso. Quando ele é utilizado como marcador evolutivo da doença em questão, poderá ser solicitado a cada três meses.

Riscos

O exame de PCR pode causar poucos riscos e todos eles de gravidade baixa. Como acontece em qualquer coleta de sangue, o paciente pode ter dor ou hematomas ao redor, além de sentir um pouco de fraqueza e, em alguns casos, tontura.

Resultados

De acordo com Ibraim Masciarelli, cardiologista do Fleury Medicina e Saúde, os valores do PCR são:

Indicador de risco cardiovascular

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
  • Abaixo de 0,1 mg/dL: risco baixo
  • De 0,1 e 0,3 mg/dL: risco intermediário
  • Acima de 0,3 mg/dL: risco aumentado.

Indicador de processos infecciosos e/ou inflamatórios

  • De 1,0 e 5,0 mg/dL: encontrado em infecções virais e processos inflamatórios leves
  • De 5,1 e 20,0 mg/dL: encontrado em infecções bacterianas e processos inflamatórios sistêmicos
  • Acima de 20,0 mg/dL: encontrado em infecções graves, grandes queimaduras e em politraumatismo

O exame serve apenas como indicativo de inflamações e infecções, que devem ser tratadas com um médico especializado na região acometida. Se houver problemas no pulmão, por exemplo, um pneumologista deve ser consultado - da mesma forma que um cardiologista deve ser buscado para tratar condições no coração e um gastroenterologista para males que afetam o estômago.

Como dito anteriormente, não é possível confirmar que o paciente irá desenvolver uma doença cardíaca apenas com base nos resultados do PCR. Por isso, o médico poderá solicitar outros exames como eletrocardiograma, ecocardiograma, tomografia computadorizada e cateterismo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O que pode afetar o resultado do teste

Segundo Claudio Gonsalez, existem condições que podem não estar propriamente relacionadas com processos inflamatórios ou infecciosos, mas que podem alterar os níveis de PCR no sangue e influenciar o resultado do exame, tais como:

  • Uso de medicamentos, como anti-inflamatórios não-esteroides (AINE), aspirina, corticoides, estatinas, betabloqueadores, pílula anticoncepcional
  • Terapia de reposição hormonal
  • Uso de dispositivo intrauterino (DIU)
  • Exercício físico intenso
  • Gravidez.

Referências

(1) Ibraim Masciarelli, cardiologista do Fleury Medicina e Saúde

(2) Claudio Gonsalez, infectologista do Hospital Santa Paula.
(3) Mayo Clinic. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/tests-procedures/c-reactive-protein-test/about/pac-20385228
(4) US National Library of Medicine National Institutes of Health. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5471098/

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.